10 Filmes que todos deveriam Ver pelo menos Uma vez na Vida

domingo, 19 de janeiro de 2014

Ah, os filmes. Tantos filmes possuem o poder de nos entreter além do obrigado, alguns nos fazem derramar lágrimas, outros rir feito crianças e há ainda aqueles que nos entediam tanto ao ponto de querermos ficar longe da televisão por uma semana.

Depois de passar uma tarde absolutamente incrível com o meu namorado, resolvir vir aqui fazer um pequeno texto para o blog. Até porque faz uns diazinhos...

Da última vez que falei sobre filmes por aqui foi sobre as 5 lições para aprender com comédias românticas, no caso, de repente 30. Hoje resolvi falar um pouquinho mais sobre outros filmes que também me marcaram e que eu acho que todos deveriam ver, pelo menos uma vez.

Peço desculpas de antemão pelos filmes da Disney. Eu sou apaixonada por eles e talvez eu puxe um pouquinho o saco, mas prometo tentar me controlar ao máximo.

01. Sempre ao seu lado
Vou começar logo com o "pior" de todos, assim vocês ficam livres. Esse foi, ao mesmo tempo, o melhor e o pior filme que eu já vi na minha vida. Se você se emocionou com Marley & Eu então esqueça esse filme, não assista de jeito nenhum. Mentira, assista sim. Esse filme é muito importante para se entender o conceito de lealdade e para perceber o quanto um cachorro pode amar seu dono - sei que algumas pessoas acham que animais são incapazes disso, mas se esse filme não lhe fizer mudar de ideia então, sinceramente, não sei o que irá. Ele trata de uma história real e o cachorro, Hachiko, realmente existiu e realmente fez tudo o que o filme mostra. É muito, muito triste e muito muito bonito. Na primeira vez que eu vi passei a noite inteira chorando de tanta emoção. Então esteja preparado para as lágrimas. Não vou contar a sinopse e nem resumir a história, vou deixar de surpresa.

02. O Cão e a Raposa
Seguindo na linha de filmes tristes e que se tratam sobre animais, O Cão e a Raposa é um clássico Disney - eu disse que puxaria o saco, não disse? - e é o meu favorito. Quando criança perdi as contas de quantas vezes fiz meu pai alugar a fita (hoje eu tenho a minha própria - sim, eu ainda tenho meu vídeo cassete). Verdade seja dita, esse filme não é tão forte quanto Sempre ao seu lado, mas é lindo. Tem valores forte sobre amizade e amor, diferentes tipos de amor, aliás e sim, pode esperar por um final feliz. É, afinal de contas, um filme da Disney. Até o Bambi teve um final feliz, né?

03. Meninas Malvadas
Mas é claro que eu ia colocar esse filme na lista. Meninas Malvadas deveria ser o primeiro filme que toda pessoa deveria assistir na vida. Opa, nasceu, põe Meninas Malvadas. Sério. Tudo sobre ele é sensacional. As atrizes, a história, as piadas, o livro do arraso e os personagens. Não tem como não gostar. Se está em um daqueles dias chatos e precisa de alguma coisa para fazer, coloque Meninas Malvadas. Se estiver fazendo qualquer coisa não-interessante, coloque Meninas Malvadas - o que, por si só, já é algo bem interessante. 

04. Bastardos Inglórios

Aliás, esqueça isso. Assista todos do Tarantino. Apenas coloquei Bastardos Inglórios, porque bem... é. Só assista. 

05. A Origem

Esse é um dos filmes mais confusos e legais que eu já vi. Para começar tem o Leonardo Di Caprio, depois é uma história tão bem feita e tão complexa que me encantou completamente. E depois... Leonardo Di Caprio. Ok, parei. Agora é sério, se você gosta de filmes na linha ficção científica esse é um prato feito, só tente não desviar o rosto da tela... ou picar. Não pisque também, até um simples a é importante nesse filme. Mas é incrível (e Leonardo Di Caprio).

06. Matrix
Falando em ficção científica, não poderia deixar Matrix de fora dessa. Um dos filmes mais reconhecidos sobre o tema e não é por pouco. A história é incrível e assim como A Origem, é preciso prestar atenção para entender. O importante é não perder os detalhes, mas não é tão difícil assim. Toda a trilogia é muito bem feita e vale muito à pena.

07. A Fantástica Fábrica de Chocolate
Nenhum outro filme me deixou com tanta vontade de comer quanto esse. Juro. Tim Burton é um dos meus diretores favoritos, eu simplesmente amo o jeito melancólico dos filmes dele. Toda a arte sombria que se encontra presente em filmes como O Estranho Mundo de Jack, Edward, mãos de tesoura e A Noiva Cadáver me agradam muito. E, embora A Fantástica Fábrica de Chocolate não seja exatamente o filme mais "triste" da carreira dele - ainda que se note uma loucura sutil em cada personagem - é um dos meus favoritos. De algum jeito em meio toda a cor e a alegria é possível sentir as mesmas coisas quando assistimos Edward. Claro, o Johnny Depp também ajuda muito.

08. A Invenção de Hugo Cabret
Uma das coisas que mais me encantou sobre esse filme foi o cenário. Visualmente é um filme incrível, muito bonito e com uma paleta de cores que me deixou de boca aberta. A história também não fica muito atrás, até porque se trata sobre um fato marcante na história do cinema e isso me alegrou mais ainda. Sou apaixonada por cinema e por histórias. Gosto de saber da história. E Hugo Cabret foi muito bem feito e se posso dizer com um elenco impressionante (Chlöe Grace Moretz, alô?). O filme vale à pena só pela história, mas os efeitos são estonteantes.

09. Piratas do Caribe - A Maldição do Pérola Negra
Ok, admito, sou fã da série. E mais ainda: sou fã do Capitão Jack Sparrow. Não tem nenhuma outra série que me deixe tão apaixonada quanto Piratas do Caribe. Eu adoro histórias com piratas e o Jack foi o personagem que mais me fez morrer de amores de todos os filmes que eu já vi. Inclusive, gosto tanto que meu carinho se estende além das telas: fiz questão de comprar a coleção de livros (sobre o jovem Jack Sparrow - se passam antes dos filmes). Todo o mundo de Piratas do Caribe me encanta. E, mais uma vez, Johnny Depp - vale ressaltar que acho dreadlocks em homem muito feio, menos no Jack. Eu casava com o Jack. Coloquei o primeiro filme, porque de todos é o melhor. 

10. Mulan
Escolher esse filme foi psicologicamente impossível. Estava em dúvida se colocava Anastasia ou Mulan. De qualquer forma, assista Anastasia. Preferi Mulan por ser um filme realmente forte em suas posições. Eu amos as princesas da Disney ok? Amo a história de todas elas (até da Branca de Neve que é meio bleh), mas a Mulan é simplesmente a melhor princesa que já existiu (ok, ela não existiu de verdade). É um filme tão poderoso, você realmente vê uma mulher se impondo em um mundo oriental e conseguindo. Tipo é a mensagem mais feminista que um filme pode ter. Então se você adora aqueles discursos sobre como as mulheres são poderosas e fortes e capazes de fazer qualquer coisa que os homens fazem, só que melhor: assista Mulan.  Brincadeiras à parte, não sou dessas que fica despejando discursos feministas por aí, mas essa animação vale muito à pena, nunca vi uma mensagem tão bem colocada. 







Playlist: Just Chillin'

sábado, 18 de janeiro de 2014
Resolvi reunir em uma playlist, algumas das minhas músicas favoritas. Sem motivos especiais não, só estava feliz e com vontade de ouvir música - surgiu isso. Não sei definir por estilo, eu vou misturando o que eu gosto, mas acho que ficou uma playlist que remete bem aos anos oitenta (a maior parte, pelo menos).

01. Vienna - Billy Joel
02. Head over Heels - The Go Go's
03. Jessie's Girl - Rick Springfield
04. Someday my prince will come - Anastacia
05. Dancing Queen - Abba
06. Love is a Battlefield - Pat Benatar
07. All Star - Smash Mounth
08. Tears Dry on Their Own - Amy Winehouse
09. Crazy for you - Madonna
10. I Wanna Dance with Somebody - Whitney Houston

Eu gosto muito de todas essas músicas - a maioria eu poderia ouvir de novo e de novo sem parar e espero que vocês gostem.


Como começar a Desenhar

terça-feira, 14 de janeiro de 2014


Para quem não sabe eu desenho. Não, não sou uma artista excelente - nem de perto. Mas gosto. Meu pai também sabe e foi ele quem me ensinou, uma vez eu vi ele desenhando e perguntei como conseguia fazer aquilo (eu tinha uns nove anos, para mim era mais ou menos como mágica). E ele me respondeu a frase que eu nunca mais esqueci na hora de desenhar: "Desenhar é fácil, Ana. Basta seguir as linhas."

Essa frase me guiou durante toda a minha vida no desenho. E é esta frase que eu espero que vá guiar vocês também na hora de tentar aí com suas folhas de papel.

Meus primeiros desenhos eram péssimos - e os de vocês vão ser também. Mas com o tempo eu fui melhorando, até que deixei de lado. Em 2010 eu desenhei algumas coisas (e na época eu estava fissurada no mangá - hoje não vejo mais tanta graça, existem outros estilos que captam a minha atenção) e parei. Até que esse ano ao esbarrar com o meu antigo caderno de desenhos resolvi tentar de novo e levar a sério dessa vez. Passei alguns meses desenhando coisas que encontrava pela internet - às vezes copiando fotos e transformando-as em rabiscos. Já tinha completado um caderno e meio inteiros e uma pasta de folhas soltas quando minha avó viu "meus trabalhos" e foi ela quem ofereceu para pagar meu curso de desenho. 

Faz uns três meses que entrei no curso e fiquei bem impressionada, talvez depois eu faça um post tirando as dúvidas sobre como é o curso e o que se faz, como é a técnica e os professores, os materiais e esse tipo de coisa. Ainda estou no nível básico o que significa que estou aprendendo técnicas de sombreamento - que são muito, muito legais (embora meio chatinhas de fazer).

A razão de eu estar fazendo esse post é porque eu já vi tanta gente, mas tanta gente vendo meus desenhos (que nem são tão bons assim, sério sou uma completa amadora) e reclamando que gostariam de ser que nem eu. Pegar uma folha e rabiscar até surgir algo parecido. Bem, você pode fazer isso se quiser.

Eu falo isso para minhas amigas o tempo todo: "Desenhar não é difícil, basta seguir as linhas." Ahá, olha essa frase de novo aí. 

Então anota aí, o primeiro passo para desenhar, é copiar. Seguir as linhas. Escolha um desenho aleatório da internet - por favor tenha bom senso, não vá pegar desenhos de rostos de pessoas cheios de sombras e focos de luz se você não sabe nada sobre técnica. A melhor maneira de começar a desenhar é pegando desenhos simples, objetos por exemplo. É uma ótima maneira de começar. 

Ou até personagens de desenhos animados que não exigem muito trabalho como as meninas Super Poderosas ou Coragem, o cão covarde, Johnny Bravo ou Dexter. A escolha é sua. 

Se não se sente bem com esses desenhos ou acha que são muito difíceis para um iniciante dos iniciantes, então pegue objetos pequenos que não exijam muito esforço na hora de desenhar. Bolas, guarda-chuvas, óculos de sol, flores dentro de um vaso, televisão, rádio, frascos de perfume...

Isso tudo pode parecer meio bobinho, mas é assim mesmo no começo. 

Existem sites ótimos, onde você pode encontrar desenhos diversos - dos mais simples aos mais difíceis como o deviantart.com e society6.com

Além disso nas tags drawing do weheartit.comtumblr.com e do pinterest.com dá para encontrar umas inspirações bem bacanas.

Para não mencionar alguns tumblrs dedicados apenas à isso como o only-drawings.tumblr.comfuck-drawings.tumblr.comg-r-a-f-i-c-o-s.tumblr.com e o cutedrawings.tumblr.com.

Com tantos sites dedicados à arte de desenhar fica difícil não arranjar motivação para começar não é mesmo?

Quando eu explico tudo isso, ainda assim as pessoas dizem: "ah, mas eu quero criar, não quero ficar copiando. Assim não tem graça."  Concordo. Não tem graça mesmo, o legal é criar. 

Mas veja bem, você ainda está no seu primeiro passo como desenhista, como quer sair criando coisas por aí sem mais nem menos? Não rola! Nem eu cheguei nessa fase ainda e eu desenho desde criança (eu disse que era amadora). 

Minha professora de desenho disse que desenhar da própria cabeça é a parte mais difícil pro desenhista. Por isso vamos nos ater ao primeiro passo que é copiar.

E estou falando isso porque é muito importante que você copie de início, é preciso fazer para se acostumar com as linhas e as proporções. E copiar pode ser muito divertido, acredite em mim. A satisfação quando você vê que seu desenho ficou quase tão perfeito que o original é simplesmente indescritível  - quase porque nada nunca se compara ao original, haha.

O segundo passo para desenhar bem é aprender um pouco de técnica. Ok, talvez você não queira ser um desenhista profissional então técnica não vai importar muito certo? Errado. Vai chegar uma hora que você só vai querer melhorar e para isso vai precisar aprender. Afinal, não tem muita graça ficar estagnado no mesmo lugar por muito tempo. Então como aprender técnicas sem ter que entrar para um curso, por exemplo?

Para começar, faça da Internet a sua aliada. Procure por tutoriais no Google e estudos de outras pessoas (estudos de desenho é quando você faz a mesma "coisa" mais de uma vez e em diferentes posições, é um tipo de treino, há, por exemplo, estudos de mãos, de pés, etc...) e tente refazê-los. 

Procure sites que falem sobre o assunto ou blogs e baixe apostilas que ensinem coisas inéditas. Ou compre livros de desenho, quanto mais você se informar, mais técnica você saberá sobre o assunto e melhor os seus desenhos vão ficar.

Eu sugiro que comecem com livros para amadores mesmo como Desenho para Leigos ou um clássico: Acessando o hemisfério direito do cérebro, que não só te dá dicas do desenho, mas como acessar a sua parte mais criativa num geral.

Tenha contato com outros desenhistas, poder conversar com outros profissionais da área vai te dar mais experiência. Eles poderão te ajudar aonde estiver tendo problemas e vice versa, poderão ainda trocar dicas e ideias. E um inspirar o outro. É ótimo ter alguém que compreende o seu trabalho por perto e que poderá te dar dicas realmente construtivas.

Para começar a conhecer gente nova que tem interesse por desenhos, procure por grupos no Facebook. Eu participo de dois o Bora Desenhar? e o Escola de Pintura Digital - Amadores e Profissionais (mas esse é mais para pintar os desenhos no Photoshop, o primeiro é mais focado no ato de desenhar mesmo). Além disso vá a eventos que tratem do assunto, você aprende um pouco mais e ainda conhece gente legal.

Invista num bom material de desenho. Não que seja absolutamente necessário ter um arsenal de pintura e materiais diversos, mas ter algumas coisas próprias para isso é sempre bom. Como este post é para amadores e pessoas que estão realmente começando a desenhar então eu diria que é bom investir em algumas coisas, como:

- Lápis de escalas diferentes, para um iniciante um 2B, um 4B e um 6B bastam. Mas para quem busca um arsenal mais completo ou ainda saber qual o melhor tipo de lápis para você: aqui nesse site explica tudo direitinho.

- Um apontador.

- Uma borracha que não seja nem tão mole, nem tão dura. Pelo menos essas são as que eu prefiro, mas isso varia de desenhista para desenhista. Gosto desse estilo de borracha porque elas me dão firmeza o suficiente na hora de segurá-las e não estragam o papel, ou seja são macias. 

- Um esfuminho nível 1 (para um iniciante, basta). Mas existem outros níveis que servem para diferentes coisas: aqui nesse site explica.

- Uma Caneta Técnica Preta - o número é de sua escolha, depende de como você quer deixar as suas linhas na hora de passar do lápis para a caneta preta, a que eu uso é 0.5 e é da marca AIHAO. Gosto muito dela e o preço dela varia de R$4,00 a R$7,00.

- Canetas do tipo Marcador (ou Pilot) - Essas são as indicadas para pintar ou cobrir linhas que exigem uma espessura maior. Suas pontas também variam e vai da escolha de cada um: a que eu uso é de 2.0 mm e vem escrito Office Pen Hidrográfica PR. Também gosto muito dela. 

Agora para quem quer colorir, basta começar com algo simples e depois ir investindo mais coisas: sugiro que compre um estojo de doze lápis de cor e giz de cera da faber castell. Comece pintando com cores mais básicas e depois vá aumentando as suas opções e quem sabe mais tarde, não tente se aventurar em algo diferente como a aquarela?

Quanto ao papel a ser usado:

Os profissionais costumam usar blocos de papel Canson, são realmente os mais procurados. Porém para iniciantes não vale muito à pena já que esse tipo não foi feito para você desenhar algo e se errar descartar logo de cara - algo que acontece muito quando se está começando. Então compre uma pasta e um bloco de papel ofício e comece por aí.

Ou melhor ainda, tenha seu próprio caderno de desenhos. Eu já tenho um completo, como disse ali em cima. To no finalzinho do outro e ainda tenho um caderninho que carrego para tudo quanto é lugar onde escrevo, desenho e basicamente faço qualquer coisa nele.

É bom também trabalhar com vários tamanhos de papel, isso te dá uma noção maior de proporção. Então se puder trabalhe em papel ofício, mas também use caderninhos pequenos, agendas, cartolinas... 

E por último, para finalizar, algumas dicas antes de começar a desenhar:

Primeiro, quando você está começando sua mão não está acostumada com as linhas mais básicas, então eu sugiro que você faça alguns exercícios de aquecimento primeiro, até para deixá-las mais preparadas na hora de rabiscar.

Pegue uma folha em branco e brinque com as formas mais básicas de tudo. Linhas verticais, horizontais e inclinadas. Círculos e quadrados. A ideia aqui é que você cubra a folha inteira com isso e que faça uma folha para cada coisa. Uma folha para as linhas verticais, uma para as horizontais, uma para as laterais, uma para os círculos e uma para os quadrados. 

Não se preocupe se as linhas não saírem retas, de início, não vão mesmo. Esse é um exercício justamente para fazê-lo se acostumar com isso e acertar mais na hora de desenhar. 

Outra coisa que é sempre bom ter em mente, sempre tenha uma folha à parte onde você possa testar o seu material. Antes de fazer qual coisa dê uns rabiscos nessa folha para ter certeza de que o grafite está do seu agrado ou que a ponta está boa. Em caso de lápis de cor, mesma coisa. Teste para ver se é mesmo aquela cor que você quer, observe a textura do material também, veja se lhe agrada. Ter uma folha de testes é bem importante e te previne de errar por bobeira. 

Espero que esse post inspire vocês a desenhar um pouco mais. 

Desafio para quem está com Bloqueio Criativo

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014


Há poucos dias eu fiz um post sobre como buscar inspiração na hora de escrever. E hoje enquanto estava navegando pela internet encontrei um desafio no tumblr para quem está com bloqueio de escritor. 

De cara o título me chamou a atenção, porque faz um tempo queria voltar a escrever minhas histórias - mas é claro que estou enrolando até agora. Enfim,  decidi dar uma chance à esse desafio e resolvi postar aqui  a versão traduzida para quem se interessar - vou deixar o link no final (o desafio está em inglês).

Desafio do Bloqueio Criativo

Introdução:

Antes de começar, isso não é um desafio para "melhorar as suas habilidades". Está mais para um desafio "comece a escrever de novo". O desafio que criei é relativamente simples, mas quando se está com bloqueio criativo se torna difícil para o escritor criar uma linha sequer. Então não leia o desafio e deixe para lá pensando que está tudo "muito fácil" porque a verdade é que você nem consiga escrever 10 linhas de cada coisa.

Coisas para lembrar:

  • Se você é uma pessoa que vem tendo dificuldade para escrever ultimamente, então por favor não compare sua escrita atual (que você fará nesse desafio) com seus poemas passados, por exemplo. Isso só servirá para te deixar triste, muita gente desiste de escrever por causa disso. Não cometa esse erro.
  • Dê um tempo para si mesmo. Não se preocupe com a gramática, a estrutura, a rima ou a harmonia. Apenas escreva. Você sempre poderá revisar depois. Sempre lembre disso: quando for escrever, apenas escreva e não se preocupe com mais nada. Deixe que as palavras lhe guiem sem interrupção.
  • Guarde os poemas/os escritos. Não importa o quão ruim estejam, não delete nada que escrever para este desafio.
  • Não se preocupe com o ato contínuo. Não faça deste desafio uma obrigação de escrever todo santo dia. Esse desafio foi criado para facilitar as coisas para você e não estressá-lo ainda mais. Mas tenha a certeza de fazer todos os desafios.
  • Sempre que for escrever e não só para este desafio, tenha a certeza de não ter mais nada em mente. Você precisa estar relaxado para que consiga concentrar seus pensamentos.
O Desafio:

Dia 01: Pegue um pedaço de papel e uma caneta. Escreva qualquer coisa, tudo o que passar pela sua mente.

Dia 02: Escreva 25 das suas palavras favoritas. Tente fazer um poema simples com elas, use a maior quantidade de palavras possível.

Dia 03: Escreva um poema ou um texto sobre como foi seu dia hoje ou sobre como você pretende passar seu dia hoje.

Dia 04: Leia um dos poemas de seu autor favorito e tente explicá-lo em um texto com as suas próprias palavras.

Dia 05: Escreva sobre seu melhor amigo ou amiga e como você se sente sobre ele/ela (envie para ele/ela depois, aposto que irá gostar).

Dia 06: Leia o seu desafio 01 e tente fazer um poema ou um texto a partir dele. 

Dia 07: Relaxe. Esse é um dia para descansar. Tome um copo de sua bebida favorita e leia os melhores trabalhos de seus autores favoritos.

Dia 08: Escolha algo que você tenha lido no dia anterior e escreva uma continuação para isso.

Dia 09: Escreva uma carta para sua mãe, seu pai ou os dois. Demonstre um pouco de amor.

Dia 10: Escreva um poema sobre você. Como você se sente consigo mesmo? Deixe seus sentimentos lhe guiarem.

Dia 11: Ande até o parque mais próximo ou até o final da sua rua. Observe as coisas à sua volta. Sente em algum lugar e comece a escrever sobre o que você está vendo ou viu.

Dia 12: Leia o que escreveu no dia anterior e tente fazer uma pequena história a partir daquilo. Adicione personagens, nomes, coisas. Faça o que achar melhor. Não se preocupe se não fizer o menor sentido.

Dia 13: Lembra da última vez que você riu muito? Escreva sobre isso. Adicione alguns detalhes e deixe engraçado.

Dia 14: Mais um dia de descanso. Apenas faça o que quiser, esqueça tudo sobre a escrita por hoje.

Dia 15: Escolha um de seus poemas (ou textos) e reescreva-o com um clima diferente. Se você o fez alegre, transforme-o em triste. Se o fez triste, transforme-o em alegre.

Dia 16: Escreva sobre algo que está te incomodando. Faça das palavras a sua melhor amiga e compartilhe seus sentimentos com elas (não se preocupe se as páginas ficarem molhadas pelas lágrimas, essas manchas vão apenas fazer com que você se sinta melhor).

Dia 17: Escreva sobre aquele seu único desejo impossível. Descreva-o em detalhes bem vívidos.

Dia 18: Escreva sobre uma pessoa do seu passado que você sente muita falta, mas que não é mais possível estar com ela no momento.

Dia 19: Escreva sobre seu futuro/a marido/esposa. Como você deseja que ele/ela seja? - Caso já seja casado/a , escreva sobre ele/a. Tente ver o lado positivo dele/a e faça com que se sinta bem consigo mesmo).

Dia 20: Escreva sobre como está a sua vida até agora. Está completamente bagunçada? Está do jeito que você queria? Para onde você acha que ela está indo? (Esse não é o mesmo desafio que o Dia 10. Este é sobre a sua vida e não sobre você)

Dia 21: Dia de descanso novamente. Leia os textos ou poemas que fez no dia anterior, e tente ver se precisam de melhorias. Reescreva se quiser.

Dia 22: Saia e ajude alguém. Faça essa pessoa sorrir. Escreva sobre como se sentiu sabendo que ele/a sorriu por causa de você. (Não se preocupe se chorar)

Dia 23: Escreva sobre a pessoa que mais te inspira. Como ela faz isso? Escreva qualquer coisa sobre ela.

Dia 24: Escreva sobre o que você mais tem medo no mundo. Deixe que as palavras reflitam esse medo.

Dia 25: Escreva sobre todas as pequenas coisas que te fazem feliz. Não importa o quê, se comer um doce te fizer feliz, escreva sobre isso.

Dia 26: Escreva sobre o rancor que estiver sentindo por alguém. Faça com que isso acabe hoje com as suas palavras. Libere seu coração desse fardo.

Dia 27: Escreva sobre a sua infância e sobre o quanto você era bobo. Quais eram os seus sonhos? Quem eram seus amigos? Tem que parecer que é uma redação feita por uma própria criança.

Dia 28: Escreva sobre como você quer que as pessoas lembrem de você depois que morrer.

Dia 29: Escreva sobre este desafio. Se você o odiou e não te ajudou em nada, deixe que a raiva te guie. Se gostou bastante, escreva sobre como ele te auxiliou a conectar os pontos.

Dia 30: Dia do descanso. É o último dia. Apenas releia tudo o que escreveu durante esse desafio. Se quiser editar algum, sinta-se à vontade. Fique feliz que conseguiu escrever tudo isso. Celebre. Dê um presente a si mesmo por isso - nem que seja uma bala. Sinta-se bem com o seu trabalho e agradeça por ter o dom das palavras. 

Eu espero que isso ajude. 

E esse foi o desafio, gente. Em alguns dias específicos tá escrito poema, mas se você não se sente bem escrevendo isso troque para texto, conto, crônica ou o que quiser. Não precisa seguir à risca, apenas faça do jeito que achar melhor. Uma coisa que achei bem legal que foi dita lá em cima, é não se prender a esse negócio de fazer todo dia. Faça quando tiver vontade e o mais importante quando tiver relaxado. 

E lembre-se que a melhor maneira de quebrar um bloqueio criativo é escrevendo.


Boa escrita para vocês <3


5 lições para aprender com comédias românticas: De Repente 30

domingo, 12 de janeiro de 2014
 

Estou abrindo um novo quadro aqui no blog. A ideia é que sempre que eu assistir a um filme do tipo comédia romântica eu tente extrair 5 lições que podem ser aplicadas na nossa vida. Vou tentar fazer isso no mínimo duas vezes por mês – talvez aumente depois de um tempo, só quero ver se a ideia vai render mesmo.

Até que estou bem surpresa com esse novo quadro. Deixa eu explicar: Comédias Românticas nunca foram meu tipo de filme favoritos. Na verdade, os que eu odeio mesmo são os filmes de Romances. Não tenho nada contra às Comédias Românticas, que ao contrário dos parceiros, não são arrastadas, soltando, de vez em quando, até piadinhas engraçadinhas.

Mas também não são a minha primeira escolha ao ir no cinema, por exemplo.

No fundo essa ideia surgiu graças a um dos filmes que mais marcaram a minha infância. Esse mesmo aí do título: De Repente 30 e como minha mente sempre anda à mil por hora – especialmente às 4:02 da manhã, a hora que escrevi esse texto – acabei por notar coisas pelo filme que realmente fizeram sentir-me bem comigo mesma.

De Repente 30 conta a história de Jenna Rink, uma garota de 13 anos que quer desesperadamente ter 30 anos e trabalhar numa revista de moda chamada Poise. No dia seguinte ao seu aniversário, para sua grande surpresa, seu desejo é realizado. E Jenna, agora com trinta anos, trabalha na primeira revista de moda mais importante do mundo. No início ela fica tão desnorteada com toda a situação que rende umas cenas bem engraçadas, mas o romance só chega mesmo quando a menina vai atrás do seu antigo melhor amigo: Matt. Sem saber que haviam brigado e não se falavam por anos.

Se você nunca assistiu esse filme, eu recomendo. A personagem principal é aquela personagem que qualquer garota se identifica, a trilha sonora é simplesmente uma das melhores e o cenário não poderia ser mais bonito. De Repente 30 tem todo um jeito de anos 70, as cores, as músicas, tudo. Mas agora vamos às lições:

01. Nunca se esqueça de quem você é. Essa é a mensagem mais marcante no filme todo. Logo que sua idade muda, Jenna aos poucos vai se dando conta de que a pessoa que ela se tornou não era bem a pessoa que ela esperava ser e então ela parte em busca do seu verdadeiro eu. Volta no tempo para a garotinha de 13 anos, a sua essência e vai tentando entender onde foi que ela se perdeu. Às vezes nos vemos diante de situações a que não estamos acostumados e acabamos mudando. Mudanças são muito boas, mas nem sempre. É preciso tomar cuidado ao se arriscar demais. A Jenna de 30 anos deixou que o seu trabalho (e o seu “poder”) lhe subissem à cabeça fazendo com que  tomasse um “rumo diferente”. Ao se dar conta disso, Jenna começa a pensar mais como ela mesma e o resultado é uma das ideias mais impressionantes que ela já teve na vida.

02. Tenha certeza de quem são seus verdadeiros amigos.  Esse é o tipo de crítica que vemos presente em todo filme. “Amizades falsas” já virou um assunto clichê. Mas não é desse lado que quero tratar. Já vi muita gente, inclusive eu, fazendo novas amizades e deixando de lado as antigas. Não que fazer amizade não seja bom, na verdade, é ótimo. É assim que tem que ser mesmo. Eu sei que conhecer alguém novo é algo completamente interessante e meio que impossível de controlar, só não deixe aquela pessoa que sempre esteve do seu lado e conhece todos os seus problemas no escanteio. Pessoas novas são ótimas, mas elas só virão a ser metade do que as pessoas antigas são daqui a alguns anos. Lembre-se disso.




03. Acredite em si mesma na hora de atingir os seus objetivos. Outro que é bem batido, mas achei interessante que uma vez que Jenna recuperou a sua personalidade e passou a agir do jeito que a deixou mais orgulhosa, foi também a época em que ela aproveitou para seguir seus instintos. Criou sozinha um projeto de reprogramação da revista em que trabalhava e ficou sensacional. E teria dado certo se a Lucy não tivesse “roubado” tudo dela. Então é sempre bom lembrar que na hora de fazer coisas que a gente gosta ou de trabalhar seguir seus instintos e acreditar em si mesma é primordial.

04. Inspire-se nas pessoas a sua volta. Em outro dos momentos mais marcantes do filme – quando Jenna está apresentando a sua ideia – ela diz exatamente isso. Celebridades, modelos e artistas são ótimos, mas e aquela sua amiga que fica linda sem nenhuma maquiagem? E a sua avó que cozinha super bem? Ou a sua tia que dá umas dicas interessantes sobre a vida no geral? Essas pessoas não merecem a sua atenção? Inspire-se nelas, você tem muito mais a aprender com essa gente do que com as celebridades nas capas das revistas.

05. Um relacionamento não é feito apenas de sexo. Ao longo do filme vai mostrando cenas em que “namorar” está quase sempre conectado à sexo – pelo menos na cabeça dos outros adultos em volta da Jenna. Quando na realidade, relacionamentos é muito mais do que isso. É comer “Razzels” na rua e depois ficar checando para ver se coloriu a língua, é pular juntos do balanço para ver quem dá o salto mais alto, é jogar batalha naval, olhar as estrelas na praia e conversar. São essas brincadeirinhas que garantem a intimidade da relação. Sexo é bom, mas não é só isso que importa

Não gosto muito de comédias românticas, mas De Repente 30 realmente marcou. Sempre gostei e via em toda oportunidade que eu tinha.  


Wishlist

sábado, 11 de janeiro de 2014
Com o meu aniversário chegando eu andei dando uma olhada na Internet em busca de coisas fofas para complementar minha lista de desejos desse ano. Na verdade, as coisas com o dinheiro andam bem complicadinhas aqui em casa então não espero ganhar nada disso de verdade. Mas é bom poder ficar só no desejo, haha. 


01. Set de Lipgloss da Forever 21: Eu fiz uma promessa a mim mesma esse ano. A de que eu usaria mais maquiagem, nem que fosse um brilho bem básico na hora de sair. A verdade é que não tenho e nem nunca tive paciência para maquiagem - não é que não gosto, pra ser sincera acho lindo. É mais o tal "não ter paciência de ficar na frente do espelho me maquiando" mesmo... Mas achei que o melhor jeito de começar a por minha ideia em prática seria com um kit lindo de lipgloss como esse. Achei a embalagem o máximo e as cores simplesmente meigas demais. Em torno de R$30,25.

02. Toy Art Pokémon Abra: Para quem não sabe eu tenho uma paixão: Pokémon. Sério. Desde criança sou apaixonada pelo desenho, via todos os episódios que podia, jogava os jogos (meu game boy era do pokémon, pelo amor de deus - sério, foi uma edição especial com um pikachu desenhado) e amava aquelas versões mini que vendiam em banca - mas que infelizmente, meus pais nuca quiseram me dar. Felizmente hoje recebo mesada e felizmente mais ainda eles voltaram a vender as versões mini nas bancas de jornal e sempre que posso eu aumento a minha coleção. Acreditem ou não, mas já tirei dois Pikachus (mas um eu dei para o meu primo de Natal já que ele tinha ficado de olho no meu). Eu simplesmente amo demais. E quando eu vi que nesse site vendia praticamente todos fiquei maluca - e não só em toy art, mas em pelúcia também. Eu coloquei o Abra porque sempre que tentava capturá-lo no jogo ele usava o teletransporte e me escapava. Mas a verdade é que eu fiquei de olho mesmo foi no set com 60 peças de Pokémon que vendem no site. Mas me contentaria em receber apenas ele. R$15,39

03: Bolsa Vinho Lolita com Laço: Um dos estilos pelos quais sou apaixonada é a Moda Lolita, mas calma... não estou falando dos vestidos super exagerados com cara de boneca (acho eles muito fofos, porém impossíveis de usar num clima tropical como é o da minha cidade). O que realmente chama minha atenção são os acessórios. Desde os guarda chuvas até os colares, anéis, alguns sapatos e é claro, as bolsas. Achei essa vinho muito versátil, grande, bonita e discreta. Tem um jeitinho tão menina, mas também mulher que eu adorei. Infelizmente para o meu bolso, os itens lolitas costumam ser muito caros. R$128,20

04: Toy Art Super Mário Set: Ok, admito, amo brinquedos. Sou apaixonada e provavelmente lhe daria um abraço se você aparecesse com uma Barbie para me dar. No mesmo site dos Pokémons achei esse set do Super Mário e Mário era simplesmente o meu jogo favorito da Nintendo. Continua sendo até hoje, se tem um game que me prende uma tarde, noite e madrugada inteiras com certeza é o Super Mario World. Amo o Yoshi, amo o Mário e até gosto do Luigi. De modo que esse conjuntinho captou meu interesse de primeira. R$25,99

05: Porta-Jóias de Cerâmica em formato de Rosa: Itens de decoração geralmente ocupam um espacinho especial no meu coração. E porta-jóias são um mimo que eu amo. Em torno de R$11,35.

Todos esses itens são de lojas internacionais, porque foram as lojas que eu estava dando uma olhada hoje. Mas há várias lojas nacionais que eu também sou apaixonada, além disso dependendo de como for eu faço um post das minhas lojas favoritas, tanto daqui como de lá. 

Ícones

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014
Vou fazer um mini-post rápido hoje. 

Eu estava navegando pela internet e encontrei um site muito legalzinho que disponibilizava algumas patterns, e eu salvei algumas. Bom, pattern vai, pattern vem, acabou que fiquei com vontade de usá-las, então corri no meu Photoshop e fiz uns ícones fofos para se usar onde quiser: twitter, tumblr, blog...

Só sei que me diverti fazendo isso. Então resolvi vir aqui mostrar pra vocês o resultado:




Os meus favoritos foram o dos triângulos e o quadriculado.



Dicas de Escrita: Como buscar inspiração.

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Relembrando os velhos tempos em que eu gostava muito de escrever e o fazia sempre que podia, decidi criar essa pequena série de posts com algumas dicas do que aprendi nesse meio tempo. Não que eu não escreva hoje em dia - ainda tento sempre que posso, sempre que tenho um tempinho.

Mas na época que eu mais escrevia e mais tinha contato com esse mundo e que me apresentou muita gente bacana eu sempre via esse problema pairando no ar: a tal inspiração.

Eu mesma já sofri disso. E parece impossível quando nada te dá aquela vontade de escrever, te dá aquela empolgação e então você acaba encarando o papel em branco sem saber o que fazer. 

Sim, eu já passei por isso.

Mas com o passar do tempo aprendi alguns truques na hora de fazer com que saia aquilo que você tanto quer.

1. Leia muito.

Essa talvez seja a dica mais óbvia e a mais importante de tudo no processo de criação, ou nesse caso de pré-criação. Leia de tudo. Leia livros, jornais, revistas, sites, outdoors, propagandas de ônibus... Tudo. E não é só ler que ajuda, veja filme e séries e documentários e vá à exposições de arte, museus e etc. Tudo isso estimula seu cérebro, para começar você adquire mais cultura fazendo isso, depois você pode ter uma ideia quando menos esperar estimulada por algo assim. Uma vez eu fui inspirada por uma série de comédia a criar uma história magnífica de ficção científica - e as duas coisas nem estavam correlacionadas, a série era How I Met Your Mother, por exemplo.

2. Faça o que você gosta.

Quando você faz algo que te traz prazer, está mais propenso a ter ideias boas e diferentes. Com o cérebro tranquilo e relaxado fica muito mais fácil de imaginar um título para a sua história, ou um clímax que vá chamar a atenção. Abuse dos seus hobbys, se você gosta de desenhar. Desenhe bastante, desenhe coisas aleatórias que tenham relação coma  história ou tente desenhar os personagens que você imaginou na sua cabeça e certas situações soltas. Se você gosta de fotografia, saia em busca de fotos na rua. Tire fotografias de pessoas, estude suas expressões e imagine-as nos seus personagens. Tire fotos de lugares e visualize se a história poderia se passar ali. Se você gosta de música, imagine o tema perfeito para a sua história, crie uma trilha sonora para ela. 

3. Ouça música.

Outra dica bastante óbvia, mas muitos escritores tem problemas na hora de escrever e procuram ouvir música para se sentirem inspirados. Mas tome cuidado: às vezes o estilo de música que você mais gosta pode não ser o indicado para te fazer relaxar. Falo por experiência própria: eu gosto muito de Rock e Jazz, mas na hora de ouvir isso enquanto estou me preparando para escrever não dá certo. Eu acabo me concentrando mais na letra da música do que no que eu tenho que fazer. Então eu aprendi que o melhor tipo de estilo musical para mim enquanto digito é a música clássica. Ritmos calmos ou agitados dependendo da cena em questão me trazem um foco muito maior. Então eu sugiro que pesquise bastante. Abra o word e tente escrever a mesma cena várias vezes usando vários estilos de músicas diferentes. A que cena, que em sua opinião, for a melhor bem escrita vai ser com o estilo musical que mais te estimula. Além disso há alguns anos eu encontrei um site muito legal chamado Focus@will. Criado não só para escritores, mas para qualquer pessoa que precise melhorar seu foco em troca de aumentar sua produção. De maneira que você faça tudo mais concentrado e termine mais rápido e mais bem feito. Esse site reúne músicas que estimulam justamente essa parte do seu cérebro, inclusive tem toda uma explicação científica por trás disso que o próprio site oferece - porém é em inglês, mas não se preocupe se você quer apenas usar as músicas não é preciso ter um conhecimento extenso do idioma. Eles também oferecem uma playlist variada, você decide o que quer ouvir. É um projeto bem interessante que funciona de verdade, já tentei algumas vezes e deu muito certo. Clique aqui para ser direcionado ao site do Focus@will.

4. Procure programas ou lugares que te isolem completamente do mundo exterior.

Se você usa cadernos para escrever, vá a um lugar isolado onde você possa ficar sozinho sem que ninguém perceba. Seja naquele local da escola que ninguém vai na hora do recreio, ou num parque para apreciar a natureza, uma mesa numa cafeteria ou até mesmo trancado em seu quarto ou num escritório. Procure lugares com o menos de distração possível para que você realmente foque no que tem que fazer. Se você é como eu e usa o computador para digitar seus trabalhos então vou deixar algumas dicas para aumentar sua produção na hora de escrever. Caso use o word, deixe apenas ele aberto. Nada de outras abas, a menos que elas sejam relacionadas aos seus livros de alguma forma. Fora isso, nada de facebook, tumblr, blog, twitter. Desligue-se de tudo isso. Outra ideia legal é criar situações que te acalmam, por exemplo barulhos de chuva agradam algumas pessoas e você pode conseguir esse efeito entrando no rainymood.com/. Ou barulho de lareira, existem vários vídeos no youtube que reproduzem esses sons. Além disso existe um programa específico que foi criado para nós, escritores que mesmo com tudo fechado, sem música, sem som ainda assim consegue se desfocar do word: o ZenWriter  é o programa queridinho para isso. Para começar ele fica em tela cheia, ou seja, realmente te isola do resto do mundo virtual. Depois ele tem opções de plano de fundo calmantes e ainda uma trilha sonora ótima na hora de se concentrar para escrever. Clique aqui para baixar o ZenWriter.

5. Aproveite suas emoções genuinamente sinceras.

Utilize de você mesmo para buscar a inspiração que precisa. Quando estiver triste, feliz, com raiva, decepcionado... Escreva sobre isso. Acredite quando sentimos algo intensamente nossas palavras automaticamente se tornam muito mais verdadeiras e íntimas. Da próxima vez que quiser jogar algo em cima de alguém de tanta raiva, procure escrever sobre isso. Quando quiser chorar, passe para o papel o que está sentindo. Esse também é um ótimo exercício para treinar na hora de passar sentimentos e emoções do seu personagem para o seu leitor de maneira que fique crível e real. 

6. A melhor maneira de buscar inspiração é... escrevendo.

Ninguém realmente leva essa dica a sério, mas eu vim a entender que ela é real. E é uma dica muito muito boa. Quando estamos sem inspiração ou com aquele bloqueio de escritor infernal parece que tudo é mais difícil e complicado na hora de passar nossas ideias para o papel. Mas a melhor maneiras de quebrar um bloqueio criativo é escrevendo. Mesmo que saia ruim. Se você pegar todo dia o seu caderno e escrever uma frase que seja, as coisas já irão melhorar. Resuma seu dia em uma frase. O seus pensamentos. Talvez demore até que você consiga passar tudo o que quer pro papel, mas escrever é assim mesmo. É dar um passo de cada vez. Se seu bloqueio ou sua falta de ideias ou sua falta de inspiração é realmente muito grande revise as outras dicas que dei nesse post ou então busque exercícios de escritas pela internet ou em livros de português. Desde os mais básicos aos mais difíceis. Tente realmente fazê-los. Outra ideia boa é comprar livros que foram feitos para estimular esse lado criativo do escritor: livros como o Wreck this journal, Questions & Answers a day e A Line a Day, são livros que fazem você se comprometer com algo e treinar sem que perceba. 

Eu espero que essas dicas tenham ajudado um pouco mais na hora de escrever. Algumas dessas aí em cima já me salvou muitas vezes. Como escritora (amadora) sei como é complicado enfrentar um bloqueio criativo e o quando é chato, mas nada é impossível e até mesmo a falta de inspiração pode ser combatida. 

Boa escrita para todos vocês.
Quero + Pizza • Design e Desenvolvimento por Lariz Santana