quinta-feira, 13 de março de 2014

Sobre a "polêmica" Frozen



Nunca pensei que fosse ter que vir ao meu blog discutir uma polêmica envolvendo o mais recente filme da Disney: "Frozen". Acontece que chegou aos meus ouvidos que alguns bossais andam espalhando por aí que o filme prega a homossexualidade e demonstra a heterossexualidade como um erro, além de, claro, ser satânico.

Típico de gente que não tem mais o que fazer. 

Vou te contar que posso estar deixando meu emocional assumir, já que como bem sabem sou fã de carteirinha da Disney - o que não significa que não admito que já houve coisas erradas por ali, como houve em qualquer empresa de alcance mundial, acredito eu. Mas eu, também, até por conhecer boa parte da história da Disney, sei das coisas boas que eles proporcionaram ao nosso mundo.

E isso pode ser um choque pra muita gente, mas sim, a Disney proporcionou coisas boas ao mundo. E não só "satanismo". 

Antes que eu comece a descorrer sobre os absurdos ditos no "artigo" peço que leiam, pelo menos para entender o que me deixou com tanto ódio: http://m.caras.uol.com.br/mobilesite/cinema/filme-frozen-e-acusado-de-propaganda-gay-e-satanismo

Ok? Leram? Ótimo. Vamos quebrar esses "argumentos" um por um agora.

Vou começar pelo mais ridículo: Frozen e Satanismo

Não é a primeira vez que a Disney é acusada de ser contra Deus. Para começar, vou deixar bem claro que não acredito em uma força maior e espiritual que rege o nosso mundo, mas não tenho o menor problema com quem acredita. Há, no entanto, alguns religiosos que não compreendem que o mundo simplesmente não gira em torno do que eles acham. Pelo menos não para os outros. 

E choquem: hoje em dia somos livre para acreditarmos no que quiser, pois é. Porque estou dizendo tudo isso? Não estou contestando esse argumento porque não acredito. Estou contestando porque não tem absolutamente nenhum fundamento. 

Para começar Disney e Religião nunca se misturaram. Nunca. Em nenhum momento de sua linha do tempo a Disney tocou no assunto religião. Aliás, o Walt Disney já fez um segmento de animação com a teoria do Evolucionismo de Darwin no filme Fantasia, o que mostra que nem mesmo quando teve a oportunidade de inserir a religião em sua pauta, ele não o fez. 

A menos que você esteja considerando Hércules como um filme sobre religião. O que eu acho difícil, pois se trata de uma história muito conhecida e que era muito popular na Grécia, entre as crianças (e até adultos). De modo que era meio óbvio que a Disney tentaria trazer essa história pra atualidade. 

Além do mais paremos, por favor, para analisar o enredo de Frozen: Duas irmãs, filhas do Rei e da Rainha, vivem em um reino qualquer, um reino desconhecido, que não existe no nosso mundo, por assim dizer. Uma delas nasce com o peculiar dom de transformar aquilo que toca em gelo. E à medida que ela cresce seu poder aumenta e essa menina tem dificuldade de controlá-lo, o que a força a se isolar do mundo exterior. Isso inclui a sua adorada irmã mais nova. Os anos passam e a Elsa - a irmã com o poder - é forçada a assumir o trono de seus pais e assim voltar a ter contato com o mundo exterior. As consequências disso é que, em um deslize, acaba se descontrolando e revelando seu segredo à todos, e isso a força a se isolar do reino em que passou a maior parte da vida. Sua irmã mais nova resolve ir atrás dela e resgatá-la.

Aonde está o satanismo nisso? Estou tendo muitas dificuldades para entender, sinceramente. 

Bom, se alguém achar, por favor, me avise.

Referente ao homossexualismo presente na trama.

O primeiro argumento foi que a Elsa em nenhum momento do filme se envolve com alguém do sexo oposto. Só o fato de colocarem isso como argumento já me mostra que as pessoas, sinceramente, não sabem o que elas querem.

Pela primeira vez, pela primeira vez, uma heroína, a protagonista da história, a principal, não tem um envolvimento amoroso. Ela não precisa de um homem para ser espetacular, ela não precisa de um homem para "completá-la". Porque ela já é completa.

(na realidade, lembrei depois que em Valente a Merida é uma princesa que não tem príncipe, perdoem-me por esse erro. Na hora da raiva eu confesso: não estava pensando claramente ao ponto de lembrar)

Gente, reflitam: Ela é uma princesa. Sem um príncipe. Não é isso que todas as feministas queriam? Não é isso que todos reclamam das primeiras princesas? O fato de que elas precisam de um príncipe para serem o que são. A Elsa não. Ela não precisa. Ela pode ser uma líder sem um homem. E é essa uma das principais diferenças de Frozen para os outros filmes da Disney - para os filmes antigos.

Mesmo em Mulan nós vemos a presença do seu parceiro romântico muito forte. A Elsa não precisa de um parceiro romântico, e afinal, qual é o problema nisso?

Uma mulher não pode não ter um namorado? Por quê? 

Ela é uma líder agora, uma Rainha: ela não tempo para ficar se preocupando com "namorados". Não é importante.

O segundo argumento é que a Canção Let It Go seria uma alusão ao "sair do armário". Vamos analisar os fatos: nós temos uma menina que é diferente do resto da sociedade e que ao não ser aceita percebe que ser diferente não é o mesmo que ser errado e ela fala sobre isso.

Os homossexuais podem se relacionar à isso? Claro que podem. Assim como toda e qualquer pessoa que tem algo explicitamente divergente dos demais. Alguém que é extremamente inteligente e é excluído por isso. Alguém com uma doença psicológica que é taxado muitas vezes de maluco. Alguém que simplesmente não se encaixa no perfil da massa pode se identificar com essa música, com a cena e com a história.

Por que está especificamente ligado aos homossexuais? Por que tudo hoje em dia tem que estar ligado a isso? Vamos saber separar as coisas, minha gente.

Além do mais mesmo que estivesse: qual o problema? É algo que simplesmente não entra na minha cabeça: por que tanta dificuldade em aceitá-los como parte da sociedade? São pessoas assim como nós. Pessoas que ficam com outras pessoas que acidentalmente são do mesmo sexo, mas e daí? Deixa, ué. Se isso faz feliz e não está torturando/matando/estuprando/insira algo odioso aqui no processo qual o problema? 

O terceiro argumento nos diz que "... a animação fala mal dos heterossexuais. Para eles, a personagem Anna seria o símbolo da inconsequência e superficialidade dos heterossexuais, já que ela deseja casar com um homem que mal conhece."

De novo a Disney resolveu criticar algo que está presente nos seus primeiros filmes. E não é isso que queriam, afinal? Que eles assumissem que uma princesa, uma mulher não precisa de um príncipe e que se casar com alguém que mal conhece pode dar resultados desastrosos.

E o que Elsa diz para Anna?

"Você não pode se casar com alguém que acabou de conhecer."

Não é isso que prega nossa sociedade? É preciso tempo e dedicação de ambas as partes para manter um relacionamento. E não é de um dia para o outro que você irá conhecer cada detalhe dessa pessoa, especialmente da pessoa com quem você pretende passar o resto da sua vida. A Elsa apenas apontou aquilo que era óbvio. 

E a Anna não representa a inconsequência e superficialidade dos heterossexuais. Ela representa a inconsequência e a superficialidade de todos nós. O amor virou algo superficial.

E a Disney fez uma crítica a isso. 

E o último argumento é que o "amor verdadeiro" é demarcado pelas duas irmãs e não pela paixão entre a Anna e o seu "príncipe".

A Disney resolveu explorar, além do amor romântico, que se faz presente em seus filmes típicos. O amor familiar, o amor entre duas irmãs e a cena em que a Anna decide salvar sua irmã ao invés de ir ao encontro do seu par romântico mostra é justamente que o amor entre as duas era muito maior e muito mais incomparável do que o que ela sentia pelo seu "namorado".

Foi quando a Anna percebeu que a Elsa, acima de todas as pessoas, sempre estaria ali por ela e que se ela se excluiu foi para protegê-la e estava na hora da própria Anna retribuir esse favor. 

A Disney prevaleceu o amor mais puro e sensível entre duas irmãs do que entre dois amantes. 

Ler essa reportagem me deixou muito triste e muito irritada. Às vezes na ânsia de criticar, as pessoas nem percebem o que lhes foi mostrado. 

Aplausos para Frozen, apenas. Foi uma das melhores animações da Disney. 

Comente com o Facebook!

8 comentários:

  1. Não tive a oportunidade de assistir ainda o filme, mas aplaudo de pé seu artigo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, muito obrigada. E assim que puder, assista. Vale muito à pena.

      Excluir
  2. Muito bom o texto! Concordo com vc, quando a disney resolve, muito sabiamente, alterar a estrutura de seu filme se adequando a uma sociedade mais moderna; vem uma galera e começa a ir contra. Parabéns Disney por saber se modernizar. E essa galera q tá criticando deveria tentar fazer o mesmo ;)

    ResponderExcluir
  3. Ainda não tive oportunidade de assistir ao filme, mas adianto que, graças ao seu artigo, não vejo a hora de poder fazê-lo. Parabéns, seu texto está muito bom! Você argumentou com clareza sobre os pontos principais que geraram as críticas e concordo com você. A Disney mandou muito bem em mostrar essa mulher independente e completa sem a obrigatoriedade de uma figura masculina para tal e, especialmente, por resgatar os valores familiares, tão em falta em nossa sociedade atual. Antes, já havia me apaixonado por Valente, justamente por resgatar esses valores em família e mostrar uma heroína que tentava se libertar dessa opressão patriarcal. Agora, acredito que me encantarei por Frozen na mesma medida. Vou assisti-lo o mais breve possível!! Mais uma vez, obrigada por compartilhar um texto tão reflexivo!! ;)

    ResponderExcluir
  4. Frozen é um dos piores filmes de todos! alem de uma historia repetitiva e chata ele tem protagonistas gays e (os outros personagems) o alce e o bicho de neve (nao sei o nome deles) sao enjoativos! (respeite minha opinião)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Respeito a sua opinião, mas se você não gostou do filme se baseando em um argumento de que "os protagonistas são gays" (o que não são, btw) então a minha opinião sobre você é que você é uma merda de pessoa. Mesmo se os protagonistas fossem gay (o que, repito, não são) então esse fato apenas não causaria nenhum efeito na qualidade do filme, já que a gente baseia nossa opinião sobre o filme a partir do desenrolar da sua história (e não na orientação sexual dos personagens principais). Quanto aos seus argumentos de que a história é "repetitiva", perdoe-me perguntar, mas quando foi a última vez que você viu uma mulher sendo rainha de um reino em um filme da Disney? Ou quando foi a última vez que você viu a princesa escolher a família acima do príncipe encantado? Acho que isso já mostra que o enredo trouxe, sim, originalidade. Não me importo com críticas, nem me sinto ofendida com elas, na verdade seu comentário me deixou até honrada porque você realmente achou que era importante me dizer sua opinião sobre o filme.

      Excluir
  5. Quero lhe parabenizar por seu arito, espetacular , completo. aqui minhas meninas amam a Frozem e tenho uma sobrinha que o tema do aniversario dela sera da FROZEN, agora não sei o porque de criticar gay. li uma nota acima. acho um absurdo neste seculo alguem discriminar assim. depois esta pessoa acima eve ser uma ameba. Frozen é lindo, é colorida. alegre

    obrigado bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado e também não consigo entender o porquê e acho um absurdo tamanha ignorância. Mas fico feliz que tenha gostado do texto <3

      Excluir