Só queria que você soubesse

domingo, 23 de março de 2014


Já passamos por muita coisa, é verdade. E em pouquíssimo tempo. Achávamos que era difícil no ano passado quando não podíamos nos ver direito nos intervalos entre as aulas. A gente não sabia de nada. Não sabíamos, por exemplo, que os dias em que você me acompanhava até em casa depois do colégio ficariam para trás. Não sabíamos que para nos vermos nos fins de semana seria tão difícil quanto nos dias de semana normais. Não sabíamos que trocar algumas poucas palavras pelo celular seria igualmente complicado.

É um novo ano e o futuro bate à nossa porta. Agora, ambos estamos focados no que queremos para nossa vida de agora em diante. Estudando muito mesmo. Você se preparando para sua medicina e eu, para a minha vida artística, quem sabe? Esse é o ano em que muitas das minhas amigas terminaram com seus namorados, porque romances de colégio simplesmente não duram não é?

Mas de algum jeito estamos aqui. Fazendo dar certo. Eu não sei exatamente o porquê de estar escrevendo isso tudo agora. Só queria que você soubesse que você tem sido incrível. Dentre tudo que vem mudando ultimamente, é bom saber que certas coisas continuam. Como você. 

Eu sei que a gente tem se visto pouco. Eu sei que estamos estressados e preocupados com o que vai acontecer a partir de agora. E eu sei que o ano de 2014 não está sendo fácil para nenhum de nós dois. Parece que mergulhamos de cabeça na correria. Estudar, estudar, estudar. Dormir, dormir, dormir. Para no dia seguinte começar tudo de novo.

Você tem sido incrível. Obrigada por entender. Obrigada por me apoiar. Eu realmente não sabia o que esperar desse ano, da gente. Mas está sendo mais fácil de algum modo, não acha? Mesmo brigando, mesmo se desentendendo, a gente sempre acha um jeito. E mesmo que dez meses não representem tanta coisa hoje em dia, pra mim é uma infinidade de tempo.

E mesmo assim eu quero mais. Quero muito mais. Mas como eu disse, o futuro bate à porta. Eu não sei o que ele reservou pra mim. Mas eu sei o que ele reservou pra você. Seja o que for que você escolher, o que quiser, vai dar certo. Você tem um futuro brilhante, você é brilhante. 

E se algum dia eu tiver que sair do país por algum motivo, pode ter certeza que irei ficar muito triste de não poder vê-lo. Enquanto a gente não descobre, a gente vai ficando junto assim. Resistindo. Aproveitando o pouco do fim de semana que realmente sobra para nós dois. Vendo filmes, comendo besteira, conversando e fazendo outras coisas também.

Depois de nove meses - e quantos dias mesmo? 16? - eu sinto orgulho de dizer que sou sua namorada. Eu fico feliz todos os dias por isso. 

Talvez não fosse uma boa ideia ficar falando de coisas pessoais assim por aqui... bem, agora já era. Eu vim até o final, não vim?

Eu simplesmente amo você.



Bookess

sábado, 15 de março de 2014

Há dois meses eu fiz um post aqui no blog dando dicas na hora de arranjar inspiração para escrever. Eu tive uma surpresa maravilhosa por esses dias quando uma amiga minha resolveu indicar para o seu chefe o meu blog (e esse post, em especial) para ser publicado no blog da editora bookess (ela trabalha lá e recentemente ficou encarregada do blog).

Quando ela me perguntou se podia postar eu quase tive um troço. Então estou aqui apenas para avisar a vocês que se quiserem dar uma olhada por lá: http://www.bookess.com/blog/14-03-2014/como-buscar-inspiracao.html

Além disso não esqueçam de curtir a página da editora bookess e conferir o site oficial.

Sobre a "polêmica" Frozen

quinta-feira, 13 de março de 2014


Nunca pensei que fosse ter que vir ao meu blog discutir uma polêmica envolvendo o mais recente filme da Disney: "Frozen". Acontece que chegou aos meus ouvidos que alguns bossais andam espalhando por aí que o filme prega a homossexualidade e demonstra a heterossexualidade como um erro, além de, claro, ser satânico.

Típico de gente que não tem mais o que fazer. 

Vou te contar que posso estar deixando meu emocional assumir, já que como bem sabem sou fã de carteirinha da Disney - o que não significa que não admito que já houve coisas erradas por ali, como houve em qualquer empresa de alcance mundial, acredito eu. Mas eu, também, até por conhecer boa parte da história da Disney, sei das coisas boas que eles proporcionaram ao nosso mundo.

E isso pode ser um choque pra muita gente, mas sim, a Disney proporcionou coisas boas ao mundo. E não só "satanismo". 

Antes que eu comece a descorrer sobre os absurdos ditos no "artigo" peço que leiam, pelo menos para entender o que me deixou com tanto ódio: http://m.caras.uol.com.br/mobilesite/cinema/filme-frozen-e-acusado-de-propaganda-gay-e-satanismo

Ok? Leram? Ótimo. Vamos quebrar esses "argumentos" um por um agora.

Vou começar pelo mais ridículo: Frozen e Satanismo

Não é a primeira vez que a Disney é acusada de ser contra Deus. Para começar, vou deixar bem claro que não acredito em uma força maior e espiritual que rege o nosso mundo, mas não tenho o menor problema com quem acredita. Há, no entanto, alguns religiosos que não compreendem que o mundo simplesmente não gira em torno do que eles acham. Pelo menos não para os outros. 

E choquem: hoje em dia somos livre para acreditarmos no que quiser, pois é. Porque estou dizendo tudo isso? Não estou contestando esse argumento porque não acredito. Estou contestando porque não tem absolutamente nenhum fundamento. 

Para começar Disney e Religião nunca se misturaram. Nunca. Em nenhum momento de sua linha do tempo a Disney tocou no assunto religião. Aliás, o Walt Disney já fez um segmento de animação com a teoria do Evolucionismo de Darwin no filme Fantasia, o que mostra que nem mesmo quando teve a oportunidade de inserir a religião em sua pauta, ele não o fez. 

A menos que você esteja considerando Hércules como um filme sobre religião. O que eu acho difícil, pois se trata de uma história muito conhecida e que era muito popular na Grécia, entre as crianças (e até adultos). De modo que era meio óbvio que a Disney tentaria trazer essa história pra atualidade. 

Além do mais paremos, por favor, para analisar o enredo de Frozen: Duas irmãs, filhas do Rei e da Rainha, vivem em um reino qualquer, um reino desconhecido, que não existe no nosso mundo, por assim dizer. Uma delas nasce com o peculiar dom de transformar aquilo que toca em gelo. E à medida que ela cresce seu poder aumenta e essa menina tem dificuldade de controlá-lo, o que a força a se isolar do mundo exterior. Isso inclui a sua adorada irmã mais nova. Os anos passam e a Elsa - a irmã com o poder - é forçada a assumir o trono de seus pais e assim voltar a ter contato com o mundo exterior. As consequências disso é que, em um deslize, acaba se descontrolando e revelando seu segredo à todos, e isso a força a se isolar do reino em que passou a maior parte da vida. Sua irmã mais nova resolve ir atrás dela e resgatá-la.

Aonde está o satanismo nisso? Estou tendo muitas dificuldades para entender, sinceramente. 

Bom, se alguém achar, por favor, me avise.

Referente ao homossexualismo presente na trama.

O primeiro argumento foi que a Elsa em nenhum momento do filme se envolve com alguém do sexo oposto. Só o fato de colocarem isso como argumento já me mostra que as pessoas, sinceramente, não sabem o que elas querem.

Pela primeira vez, pela primeira vez, uma heroína, a protagonista da história, a principal, não tem um envolvimento amoroso. Ela não precisa de um homem para ser espetacular, ela não precisa de um homem para "completá-la". Porque ela já é completa.

(na realidade, lembrei depois que em Valente a Merida é uma princesa que não tem príncipe, perdoem-me por esse erro. Na hora da raiva eu confesso: não estava pensando claramente ao ponto de lembrar)

Gente, reflitam: Ela é uma princesa. Sem um príncipe. Não é isso que todas as feministas queriam? Não é isso que todos reclamam das primeiras princesas? O fato de que elas precisam de um príncipe para serem o que são. A Elsa não. Ela não precisa. Ela pode ser uma líder sem um homem. E é essa uma das principais diferenças de Frozen para os outros filmes da Disney - para os filmes antigos.

Mesmo em Mulan nós vemos a presença do seu parceiro romântico muito forte. A Elsa não precisa de um parceiro romântico, e afinal, qual é o problema nisso?

Uma mulher não pode não ter um namorado? Por quê? 

Ela é uma líder agora, uma Rainha: ela não tempo para ficar se preocupando com "namorados". Não é importante.

O segundo argumento é que a Canção Let It Go seria uma alusão ao "sair do armário". Vamos analisar os fatos: nós temos uma menina que é diferente do resto da sociedade e que ao não ser aceita percebe que ser diferente não é o mesmo que ser errado e ela fala sobre isso.

Os homossexuais podem se relacionar à isso? Claro que podem. Assim como toda e qualquer pessoa que tem algo explicitamente divergente dos demais. Alguém que é extremamente inteligente e é excluído por isso. Alguém com uma doença psicológica que é taxado muitas vezes de maluco. Alguém que simplesmente não se encaixa no perfil da massa pode se identificar com essa música, com a cena e com a história.

Por que está especificamente ligado aos homossexuais? Por que tudo hoje em dia tem que estar ligado a isso? Vamos saber separar as coisas, minha gente.

Além do mais mesmo que estivesse: qual o problema? É algo que simplesmente não entra na minha cabeça: por que tanta dificuldade em aceitá-los como parte da sociedade? São pessoas assim como nós. Pessoas que ficam com outras pessoas que acidentalmente são do mesmo sexo, mas e daí? Deixa, ué. Se isso faz feliz e não está torturando/matando/estuprando/insira algo odioso aqui no processo qual o problema? 

O terceiro argumento nos diz que "... a animação fala mal dos heterossexuais. Para eles, a personagem Anna seria o símbolo da inconsequência e superficialidade dos heterossexuais, já que ela deseja casar com um homem que mal conhece."

De novo a Disney resolveu criticar algo que está presente nos seus primeiros filmes. E não é isso que queriam, afinal? Que eles assumissem que uma princesa, uma mulher não precisa de um príncipe e que se casar com alguém que mal conhece pode dar resultados desastrosos.

E o que Elsa diz para Anna?

"Você não pode se casar com alguém que acabou de conhecer."

Não é isso que prega nossa sociedade? É preciso tempo e dedicação de ambas as partes para manter um relacionamento. E não é de um dia para o outro que você irá conhecer cada detalhe dessa pessoa, especialmente da pessoa com quem você pretende passar o resto da sua vida. A Elsa apenas apontou aquilo que era óbvio. 

E a Anna não representa a inconsequência e superficialidade dos heterossexuais. Ela representa a inconsequência e a superficialidade de todos nós. O amor virou algo superficial.

E a Disney fez uma crítica a isso. 

E o último argumento é que o "amor verdadeiro" é demarcado pelas duas irmãs e não pela paixão entre a Anna e o seu "príncipe".

A Disney resolveu explorar, além do amor romântico, que se faz presente em seus filmes típicos. O amor familiar, o amor entre duas irmãs e a cena em que a Anna decide salvar sua irmã ao invés de ir ao encontro do seu par romântico mostra é justamente que o amor entre as duas era muito maior e muito mais incomparável do que o que ela sentia pelo seu "namorado".

Foi quando a Anna percebeu que a Elsa, acima de todas as pessoas, sempre estaria ali por ela e que se ela se excluiu foi para protegê-la e estava na hora da própria Anna retribuir esse favor. 

A Disney prevaleceu o amor mais puro e sensível entre duas irmãs do que entre dois amantes. 

Ler essa reportagem me deixou muito triste e muito irritada. Às vezes na ânsia de criticar, as pessoas nem percebem o que lhes foi mostrado. 

Aplausos para Frozen, apenas. Foi uma das melhores animações da Disney. 

De Armário Novo: Comprar mais, por menos.

domingo, 2 de março de 2014

Nossa é bom poder postar algo de novo. Hoje eu acordei com vontade de fazer post pro blog e estive lutando com a minha inspiração desde então. É muito difícil escrever quando você não tem nada de novo para contar. Minha vida anda na mesma com a diferença de que terei simulado na segunda-feira da outra semana (essa não, a próxima - até porque é Carnaval). 

Pensei em falar algo sobre o Carnaval, mas não dou a mínima para isso. Gosto de vir aqui e escrever sobre coisas que se tratam da minha realidade. Carnaval não é uma delas, em todos esses anos nunca me interessei por blocos e coisas do gênero. Gosto de fantasias, mas dificilmente vemos algo realmente original, de modo que não me interesso por nada disso. Hoje vou falar das minhas lojas favoritas, porque ultimamente venho me interessando por moda e realmente pensando em seguí-la como carreira, mas ainda estou com o pé atrás porque motivos... mercado de trabalho, dinheiro, etc...

E  como ainda não tenho nada concreto para discutir sobre meu futuro profissional com vocês decidi falar sobre as lojas que eu compro "sempre". "Sempre", porque mal tenho saído de casa ultimamente.

Na verdade o que eu quero aqui é dar dicas pro pessoal que gosta de roupas, gosta de se vestir, mas não gosta do preço que tem que pagar por elas. E eu quero mostrar que, na verdade, você pode encontrar muita coisa boa por preços baixos.

01) Compre em Lojas de Departamento

Essa sempre vai ser a minha primeira dica para qualquer coisa relacionada à roupas. Muita gente não gosta de lojas de departamentos porque "muita gente compra a mesma coisa" e isso é um argumento válido. Eu também não gosto de comprar algo e ver de cada 15 pessoas, 20 usando a mesma coisa que eu. Mas o truque nas lojas de departamento é garimpar. Tem que ter paciência para olhar pela loja inteira, mas você vai encontrar peças únicas, te garanto. Tenho uma camisa xadrez da C&A que encontrei na sorte, ela tem estampa de bolinhas por baixo e nunca vi ninguém usando igual.  

As melhores lojas de departamento do Rio:

C&A: Todo mundo conhece a C&A, acredito eu. E uma coisa que eu posso garantir é que a C&A brasileira é muito boa mesmo, melhor que a europeia. Já estive em Londres e a C&A de lá não é grande coisa quando comparado. 
Prós: É uma rede de fast-fashion que sempre tem de tudo novo que lança no mundo da moda. Além do que tem linhas originais que você não encontra em nenhuma outra loja.
Contra: O preço da C&A já esteve muito mais em conta no passado. Hoje não a considero a melhor rede de departamentos porque estão cobrando muito acima do que deveriam. Além disso, por ser uma das redes mais famosas no Brasil, as chances de pessoas comprando a mesma coisa aumentam. 
Dica: Espere pela liquidação. É certo que as lojas ficarão mais cheias, mas ao menos você vai pagar um preço bem mais baixo.

Marisa: A Marisa já foi muito ruim e hoje eu a considero muito boa. O bom da Marisa são as camisetas e camisas, você encontra os modelos mais legais com estampas realmente criativas. Além disso, uma coisa que venho notando são os sapatos, melhoraram muito. As sapatilhas, principalmente.
Prós: O preço da Marisa é acessível. O que significa que não é extremamente barato, mas também não é extremamente caro. É apenas, condizente com o produto. Além disso, as liquidações sempre tem 50% pra cima de desconto, principalmente na troca de estação.
Contra: As camisas podem ser baratas, mas os sapatos e bolsa no entanto, tem preços bem exagerados. Preste atenção na hora de escolher um deles para não acabar pagando mais do que o produto vale.
Dica: O site da Marisa sempre tem muita coisa legal e por preços bem mais baratos que a loja física, vale a pena conferir.

Renner: A Renner é famosa por ter marcas variadas em seu estoque. Além de vender de tudo desde sapatos até perfumes, bolsas, bíquinis, cintos e acessórios. A seção infantil da Renner também é bem extensa.
Prós: Os produtos da Renner tem uma qualidade melhor que das outras redes de fast-fashion, com tecidos mais leves. E ainda há alguns itens que você não encontra em nenhuma outra rede. A Renner é marcada pela originalidade das peças. Além das linhas que ela oferece, eu, por exemplo, sou apaixonada pela da Disney.
Contra: O preço é totalmente fora da realidade de loja de departamento. É a rede fast-fashion do Rio mais cara que tem. Você pode pagar um mínimo de R$25,00 em blusas da Renner e um máximo de R$70, R$80. 
Dica: O site da Renner não tem muita diferença de preço não, mas tem produtos exclusivos que você não encontra na loja física. Vale a pena dar uma olhada.

Leader: Muita gente torce a cara para a Leader e eu não entendo o porquê. A Leader é o maior exemplo de que basta saber procurar que você encontra muita coisa legal. Juro. Eu adoro a Leader, já encontrei de tudo por lá. Desde sapatos à roupas.
Pró: A maior parte das pessoas compra itens de casa na Leader, de modo que é difícil ver roupa repetida por aí. O preço é super em conta. Além de baratos, é possível encontrar produtos de qualidade e bonitos.
Contra: É preciso ter muita paciência para encontrar algo do seu tamanho na Leader ou até mesmo algo que você goste. No geral a Leader é muito desorganizada e você vai encontrar muita coisa escondida. Por isso que a dica aqui é garimpar bem.
Dica: Dê uma olhada na seção de sapatos da loja, em especial as sapatilhas e rasteirinhas, sempre tem várias muito bonitas.

02) Compre em lojas de marca

Calma, não estou mandando você gastar R$380,00 em um vestido da Cantão, mas marca no Rio de Janeiro não é apenas as de alto escalão como a Colcci e a Leeloo. Você pode comprar em lojas de marcas menores que cobram preços justos sobre seus produtos. Além disso existem os chamados outlets espalhados por aqui pela cidade que vendem coleções passadas com 70%, 80% de desconto. 

As minhas lojas favoritas de marca:

Aquamar: Eu absolutamente amo a Aquamar. Ela tem roupas lindas por preços acessíveis. Claro que você não vai pagar R$20,00 por uma blusa como em uma loja de departamento, mas você também não vai pagar R$150.
Prós: Por ser de marca, as linhas são originais e os produtos são de qualidade. Além disso o preço aqui é justo. Você gasta entre R$50 e R$80 numa camisa, por exemplo. 
Contra: A Aquamar deixa de valer a pena se você passar a comprar regularmente. O grande jogo é comprar de vez em quando e aqueles itens que combinem com tudo no seu guarda-roupa ou os que são bem originais e diferentes.
Dica: Corre nas liquidações, quando tá em promoção os preços ficam iguais aos das lojas de departamentos. Além disso, em breve eles irão lançar uma loja online. 

Opção Jeans: A Opção tem um jeito mais alternativo, despojado e as coleções são muito bonitas.
Prós: O preço da Opção é de loja de departamento. Ou seja, ela é bem barata e te oferece um leque de opções bem amplo. 
Contra: Diferentemente das lojas de departamento, aqui você só encontra roupas. E, claro, pode haver uma ou outra peça que o preço esteja acima do que deveria.
Dica: Procure as lojas no Centro da Cidade, elas costumam ser mais baratas.

Além dessas duas, como eu disse lá em cima você pode ir em outlets. A namorada do meu primo já foi em outlets da Myth, da Dress To e da My Place e ela garante que valem muito a pena.

3) Compre online.

Os sites online que vendem roupas crescem cada vez mais e você pode comprar coisas por preços cada vez mais baratos, tanto nacionais quanto internacionais. 

Os sites que eu uso:

Privalia: Esse eu descobri faz pouco tempo e to adorando. Você precisa se inscrever para começar a usar e o legal dele é que ele te oferece produtos de marca com até 70% de desconto.
Pró: Comprar produtos muito bons por preços acessíveis.
Contra: Ter que esperar para poder recebê-los. Não que demore tanto, em uma compra internacional leva muito mais tempo. Mas ainda assim ter que esperar por algo que se quer é um tanto chato.

Enjoei: O Enjoei é o brechó online mais famoso do Brasil e você pode encontrar de tudo, tanto de marcas nacionais como internacionais. Tanto por preços baratos, quanto caros.
Pró: Você pode vender o que não quer mais e encontra produtos que nem foram usados de marcas internacionais a preços acessíveis.
Contra: É preciso tomar cuidado com quem compra, como é estilo Ebay você precisa investigar pra ver se o vendedor é confiável. Além disso, na mesma medida que se encontra produtos baratos, pode se encontrar produtos caros. A dica aqui é procurar bem e pesquisar. 

Trasheria: É uma loja online brasileira com produtos extra exclusivos que você sempre quis, mas nunca acha por aí.
Pró: Você encontra muita coisa diferentes e original. E as opções de pagamento são variadas.
Contra: O preço não é o melhor de todos, mas é possível encontrar certos produtos que você estaria de acordo a pagar. Como uma regata cropped com estampa de unicórnios por R$32,90. Mas você também vai ver um simples anel por R$15,00. Além disso tem o contra que toda loja online tem, esperar pra receber.

Miniinthebox: Todo mundo conhece o Mini in the box, pertence ao light in the box (vou falar dele mais embaixo) e vende os gadgets em teoria que seriam "mini". O site pertence à China.
Pró: Todos os acessórios que você encontrar por lojas afora, irá encontrar aqui três vezes mais barato. Ao invés de pagar R$15,00 em um anel no Trasheria, você pode pagar R$3,00 por um anel igual ou parecido. A variedade de produtos também é absurda, tem de tudo. Cadernos, capas para Iphone, colares, anéis, canetas, adesivos... É possível pagar por boleto bancário, quem não tiver cartão é uma boa.
Contra: Por ser da China demora muito para chegar. Muito mesmo. Pode levar um mês, como também pode levar dois, três. É preciso ter muita paciência quando for comprar aqui, porque vai demorar pra chegar. Em compensação o produto vem em bom estado, nunca aconteceu de vir nada quebrado comigo.

Lightinthebox: Separei os dois, porque apesar de serem da mesma "marca" são muito diferentes entre si. O Light in the box é mais amplo, vende sapatos, bolsas, aparelhos eletrônicos maiores, roupas, etc...
Pró: A variedade é muito maior e a qualidade dos produtos é realmente boa. Além disso o site está em liquidação o tempo todo (vou esplicar melhor no contra). Pode pagar por boleto, também.
Contra: Como o Mini in the box, a espera é grande. Demora muito para chegar e nem tudo no ligh in the box é free shipping, ou seja sem taxa. Sapatos, por exemplo, levam uma taxa de importação de em média R$30,00, o que por vezes aumenta bastante o preço do produto. Aliás o preço no light in the box é uma situação mais delicada. Não é que ele não seja barato. Ele é, mas depende do que e de quando você compra. Existem produtos que são absurdamente caros, mas que quando estão em liquidação ficam absurdamente baratos. Portanto para comprar no light in the box e sair ganhando é preciso ter atenção para ver se há ou não taxa sobre o produto e se ele está em liquidação. 

Alieexpress: Hoje em dia é difícil encontrar alguém que não tenha ouvido falar no Alie Express. É um site chinês também e se encontra muita coisa em conta por aqui e fofas. 
Pró: O preço é obviamente um pró. Tudo por aqui é muito barato e os produtos são realmente bons. Vale muito à pena comprar pelo Alie Express. Além disso, a originalidade dos produtos também é um pró. Pode pagar por boleto também.
Contra: Tem que esperar para chegar, mas a boa notícia é que o produto chega muito antes que o do light in the box. Enquanto no de cima pode demorar de dois a três meses, aqui realmente leva entre 15 e 45 dias para chegar. O pacote de envio não é muito bom, pelo menos o que o meu coturno foi enviado era bem fraquinho em termos de proteção. Já o cofre que compre no mini in the box, o pacote era bem resistente e muito bem feito.

Existem muitos outros, mas não quero me estender nisso, porque mais pro final do ano vou fazer um post só sobre compras estrangeiras. Muita gente não sabe como funciona e eu gostaria de ajudar nisso, no entanto meu tempo está curto e só poderei me concentrar nisso mais pro final do ano mesmo. 

Muita gente que gosta de moda fica decepcionada porque "não tem dinheiro", mas é possível estar "na moda" e gastar pouco. Eu vou me focar nisso quando estiver falando de moda por aqui. Não quero vir oferecendo um batom da Mac quando eu sei que o meu público não tem condição de gastar R$60,00 em um batom. Eu mesma, não tenho.

Quero + Pizza • Design e Desenvolvimento por Lariz Santana