Look do Dia: Floral + High Low + Neon

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Eu amo moda. Sério. Sou apaixonada desde... sei lá, os 12 anos. Curiosamente, quando era criança não tinha paciência para isso. Toda a ideia de ficar escolhendo roupas por horas a fio, ou passear pelo shopping para olhar uma infinidade de vitrines não me chamava a atenção. Quando me davam uma blusa eu contorcia meu rosto em uma careta de nojo: o que eu queria mesmo eram os brinquedos. Barbies, Pollys, casas de barbies, navios de pollys... colecionar bonecas e seus apetrechos eram a minha atividade preferida.

Então eu cresci, e hoje toda a parte em que eu preciso me arrumar antes de sair me deixa tão feliz. Eu gosto de combinar diferentes tecidos com diferentes formatos com diferentes texturas com diferentes estampas. Cores, tamanhos, cortes... tudo isso soa muito incrível e criativo pra mim. E eu cheguei a postar alguns looks aqui pelo blog, mas eu vou tentar manter uma certa instabilidade. Eu ainda estou aprendendo todas as manhas desse tipo de post e ainda não tenho várias fotos cheias de detalhes para mostrar, mas espero que isso seja um começo.

Eu gosto de compartilhar o meu estilo e ensinar as coisas "que eu sei" - se é que sei alguma coisa, haha - na hora de vestir. Algumas amigas minhas às vezes me perguntam se está legal, ou então vivem elogiando o que eu estou usando e eu sempre penso comigo: sério? mas é algo tão comum e natural.

Pra mim é natural. É comum, e às vezes sem querer eu projeto esses sentimentos em todo mundo então é como se pra todo mundo fosse tão simples quanto é pra mim, quando na verdade, a maioria não está acostumada a ver uma menina desfilando por aí com uma coroa de flores na cabeça.

Mais do que me vestir bem gosto quando uma pessoa fica feliz com as dicas que eu dou: uma vez eu ia dormir na casa de uma amiga e ela tinha que ir numa peça de teatro (que ela já tinha combinado e se esqueceu quando me convidou) então ela me pediu pelo amor de deus para eu ajudá-la a encontrar algo para se vestir. Ela disse que não tinha muitas coisas legais no armário e não sabia muito bem como usar e eu lembro de abrir o seu armário e ficar chocada: ela tinha roupas incríveis e eu vi aquilo como uma verdadeira brincadeira. Eu montei algo simples e ao mesmo tempo clássico, ficou algo chique sem ser exagerado (ela estava com calça jeans). Mas o que me deixou em êxtase foi a felicidade dela. Ela me agradeceu tanto que eu fiquei envergonhada e disse que iria usar aquele look mais vezes. Eu falei que na hora de se arrumar só basta um pouquinho de imaginação. 

Eu nunca vou esquecer desse dia, porque foi quando eu percebi que era muito boa nisso. Moda. Foi um verdadeiro alívio, pois é reconfortante saber que você, é, sim bom em alguma coisa. Mesmo que não seja algo usual, algo que todo mundo espere - como ser ótimo em matemática. Eu gosto de desenhar e gosto de criar e misturar tudo. Espero que no futuro, eu olhe para trás e lembre desse momento: do momento em que eu era apenas uma adolescente brincando no armário da amiga e se sentindo como se estivesse em casa. 

Acho que esse look de hoje (eu apelidei de verão, porque né) é um pouco disso, tem a mistura de cores sem parecer exagerado e ao mesmo tempo é divertido. Com muita sorte não entendiei ninguém com tudo isso, haha.

Caso você tenha gostado aqui abaixo tem alguns itens de lojas onde você pode encontrar peças parecidas e criar o seu look verão também: 


Acho que minha parte favorita da Moda é quando os looks tem a mesma inspiração, mas são completamente diferentes entre si. Enquanto o meu se foca em cores como o laranja e o verde, com alguns pontos de cores diferentes sem parecer exagerado. Esse da wishlist é mais simples sem deixar de ser divertido. Tem a mistura de cores, a estampa floral e grita verão tanto quanto o primeiro, mas não é que ficaram completamente diferentes?

01. Body Floral da Forever 21.
02. Coroa de Flores da H&M.
03. Short Jeans com estampa étnica da H&M.
04. Bolsa azul da Marisa.
05. Sapatilha Whoop by Ramarim da Dafiti.
06. Cinto rosa do Light In The Box.
07. Óculos de Sol redondos do Mini In The Box.

Espero que tenham gostado, não esqueça de dar hype no lookbook ou curtir no instagram.


Estilo da Semana: Magdalena Majewska

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Hoje eu estava rondando pelo chictopia - pois é, lembrei que ele existe - e encontrei o perfil dessa garota polonesa e eu fiquei apaixonada pelo estilo dela. O nome dela é Magdalena Majewska e ela posta nesse blog aqui. Ela tem um guarda-roupa mais vintage com uma pegada meio rocker. Muita influência dos anos 50 em alguns looks e outros já puxa mais pro final dos anos 80 e início dos 90.


Vou admitir que nunca fui muito chegada a brilho e eu sou chata para gostar de um look com muitos paetês e tê-tês, mas nela ficou incrível. O vestido azul captou demais a minha atenção e adorei o colar que ela jogou por cima. 
Ela usa bastante cores neutras como o preto e o branco, mas também gosta de tons de vermelho e sempre acaba saindo uns looks bem legais como esses aí.

Como ninguém vive de preto e branco o tempo inteiro, de vez em quando umas cores aparecem no lookbook dela, provando que, na verdade, ela fica bem com tudo. Aliás o primeiro vestido me parece muito algo que a Katy Perry usaria.

A sua maquiagem na verdade é bem simples: delineador no estilo gatinho e batons de tons escuros nos lábios que variam do vermelho ao vinho. Já os cabelos são lisos e quase sempre estão soltos.

Aqui você pode conferir o chictopia dela e outros looks. Vocês ficaram tão apaixonados quanto eu pelo estilo dela? Por favor, me contem <3


Quero Mais Pizza nas Redes Sociais

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Hoje eu resolvi fazer uma coisa que eu já deveria ter feito há muito tempo: levar o blog para outras redes sociais. 

Eu deletei meu antigo twitter, pois não usava e criei um exclusivo pro blog - onde eu posso falar um pouco sobre mim também, claro. E eu pretendo me comprometer a postar sempre por lá. Não vi necessidade de criar um novo instagram, pois sou bem ativa no meu (e meio que gosto dele, haha). E a página do facebook não vem agora, talvez depois (beeem depois, pois não quero me comprometer a administrar uma página nesse momento, pelo menos não até eu ter certeza de que vou conseguir dar total atenção à isso.

Além disso tudo também criei um tumblr para o blog onde eu adicionei uma tag nova e um e-mail para contato.

Então, é isso. Me sigam no twitter, tumblr, lookbook e instagram. Caso queiram entrar em contato comigo mandem um e-mail para queromaispizzablog@gmail.com

Um beijo e até amanhã <3




Dia-a-Dia: Mudanças

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Quando eu disse há alguns dias que nesses dois últimos meses eu teria muito o que falar não sabia que em poucas 48 horas isso já se tornaria verdade. Hoje não tenho nada de novo para trazer, apenas desejo bater um papo mesmo, contar do que tem acontecido na minha vida...

Já faz bem uma semana que estou preparando um post sobre cabelos para vocês: estou reunindo um grupo de meninas com tipos diferentes para fazer um masterpost com dicas de como cuidar neste verão. Com o calor chegando eu entendo que muita gente tem dificuldade em manter o brilho e maciez do resto do ano e pensando nisso resolvi reunir ideias para ajudar. Não que eu me considere uma especialista ou algo do tipo, para ser sincera não faço mais do que o necessário, mas gosto de manter meu cabelo bonito e fico muito triste quando ele não está com uma cara legal. 

Meu cabelo é liso e não queria me prender apenas à isso, por isso fui buscar ajuda de meninas com cabelos cacheados, ondulados e crespos e assim fui aprendendo com elas um pouco mais sobre o assunto e tá sendo uma experiência muito divertida. Até o final da semana que vem esperem esse post, prometo. 

Fiquei ainda mais animada quando, ontem, do nada, decidi pintar o cabelo. Ok, não foi uma decisão tomada da hora pra outra. Fazia muito tempo que estava com vontade de mudar meu cabelo. Da primeira vez cortei minha juba enorme e deixei ele curtinho. Na segunda vez descolori as pontas como vocês podem ver na foto do blog, em cima da descrição. Na terceira vez fiz luzes loiras e clareei o meu castanho escuro. E mesmo depois de tudo isso percebi que não estava satisfeita. Não era o corte que me incomodava. Era a cor. Eu não aguentava mais ver aquele castanho escuro opaco no espelho. E então num impulso sem volta peguei minhas coisas e fui comprar a tinta. 

Não pensei duas vezes, não contei até dez, entrei no salão e duas horas depois lá estava eu, toda ruiva. 

Foi uma experiência e tanto, lembro de sentir um nervoso muito grande enquanto esperava a tinta pegar: Será que ficaria bom? Será que valeria a pena? 

No final eu sei que valeu e saindo daquele salão reforcei um dos meus ideais mais fortes: quando sentir que está na hora de mudar, se jogue. Vai com tudo, de verdade. Pode ser que você se arrependa, pode ser que não. Em todas as vezes que quis muito mudar, no final acabei me sentindo aliviada. Claro, não é uma coisa que você decide de um dia pro outro. Como eu disse ali em cima era algo que eu pensava em fazer fazia muito tempo, minha atitude de coragem se concretizou na tarde de ontem, mas eu já havia pensado, idealizado, pesquisado tanto que na hora de definitivamente pegar a chave  e sair porta afora foi muito fácil.

O meu cabelo não foi a única coisa que mudou em mim. Eu cheguei a comentar no post do vestibular (esse aqui) que esse ano cheguei a conclusão que minha vida pertence às artes. Ultimamente venho sentindo dentro de mim uma vontade cada vez mais forte de desenhar, editar (amo photoshop) e tirar fotos. Quero compartilhar essas minhas paixões com o mundo e por isso me decidi por fazer moda na faculdade - que bem ou mal reúne tudo isso em uma só profissão. O Enem é esse final de semana, mas quero mesmo é a PUC e o resultado sai semana que vem, no dia 11 de Novembro.

Fiz duas promessas pra mim mesma: que eu iria me dedicar mais a essa àrea da minha vida, comprei uma câmera e vou me comprometer de verdade a registrar momentos especiais e, então, vir compartilhar aqui no blog que faz parte da minha segunda promessa que é investir nisso aqui e passar a postar todo dia e compartilhar com vocês tudo o que eu sei de moda (nossa, tenho muito pra falar) e da vida num geral. Claro que em meio à época de provas, talvez, fique um pouco difícil de fazer isso, mas as férias estão logo ali e então vou ser livre para vir compartilhar sempre que quiser.

Uma coisa que eu estou morrendo pra falar é que troquei de celular e uma das coisas que eu já estou adorando são os aplicativos de edições: eu realmente adoro editar fotos (daí surgiu meu recente amor por querer tirar fotos originais) e existem aplicativos maravilhosos que contribuem em muito a minha vida. Pretendo vir compartilhar com vocês os que eu uso, além de mostrar meus outros apps. Tenho vários de moda e compras que eu adoro. Isso também vou reservar para um outro post e explicar melhor, quem sabe, semana que vem.

É bom vir aqui e poder escrever, sem pensar, sobre coisas que acontecem na minha vida. Mesmo que ninguém leia, só eu. Fico toda boba entrando e saindo do queromaispizza só para ver se ele ainda está por lá. 

Ah e uma última coisa que eu (quase) esqueci: comprei o domínio do blog e a partir de uns dois dias a nova url será http://queromaispizza.com.br

Não é o máximo?

Dia-a-Dia: Falta de amor próprio

terça-feira, 4 de novembro de 2014

Certas coisas na vida cansam. Dias quentes demais, gente que não respeita os outros, trânsito quando se está com pressa, tristeza, desânimo pra seguir com a vida, não ter chocolate em casa, ter que tirar o pijama, falta de dinheiro para comprar livros, acordar cedo, ficar com vontade de sair e ter que voltar por causa da chuva, mal-olhado de pessoas estranhas na rua, vendedores que te cercam nas lojas quando tudo o que se quer é um pouco de paz e acima de tudo, falta de amor próprio.

Tenho um problema sério com pessoas que insistem em fazer de si o seu pior inimigo. Não estou falando de estar triste, não. Já passei por momentos ruins na minha vida em que o que eu menos queria fazer era me olhar no espelho por não gostar de mim e cara... como isso era péssimo. Hoje em dia vejo que é muito melhor valorizar minhas qualidades que apontar a cada segundo da minha vida os mil e um defeitos que eu tenho.

Todo mundo tem probleminhas, todo mundo tem aquela espinha, todo mundo tem calos, todo mundo tem quilinhos a mais. Ficar se comparando com os outros não vai te trazer nada de bom além de decepção, o que se tem que fazer é passar um batom bonito, se vestir da melhor forma possível e sair distribuindo sorrisos por aí.

Ou então, pula o batom e a roupa, pega uma blusa qualquer, uma calça e um tênis. Mas não deixa o sorriso ir embora. Eu entendo que existem pessoas que passam por um problema de auto aceitação muito grande, mas tente se lembrar que ficar se menosprezando não leva a nada, a não ser, talvez mais chateação.

Se o problema é não ser bonita então nem esquente a cabeça, beleza varia de pessoa pra pessoa e pode ter certeza de que dentre as sete bilhões de pessoas que existem no mundo, ao menos uma vai olhar pra você e pensar: "Que menina linda!".

Não briga com o espelho, não. Ele não fez nada para você. 

Beleza de verdade, vem de dentro. É clichê, sim! Mas quem disse que o clichê não pode ser bom? Beleza de verdade é aquela pessoa que te ilumina simplesmente pela personalidade que ela tem, pela conversa boa que ela traz, pelas piadas ridículas que te fazem rir mesmo assim.

Aceite um conselho de quem já viu tudo de ruim na própria imagem: isso só te denigre, só te traz pra baixo e nessa vida o que mais se vale é ir pra cima.

Acho tão lindo quando vejo meninas nem um pouco produzidas sorrindo, felizes da vida, curtindo o momento e o que a estrada tem de bom para oferecer. Eu sei, é difícil, mas tente ouvir um pouco mais a opinião dos outros, repare no que eles veem em você que você não vê

Amar a si mesmo é um exercício longo de autoconhecimento, demanda tempo, trabalho e muita disposição. É preciso ter paciência para se aceitar, mas no fim, acredite, vale muito a pena!


Dia-a-Dia: Ano de Vestibular

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Estou criando essa tag nova aqui no Blog, onde pretendo compartilhar com vocês assuntos variados que me pegam de supetão durante o dia, ou talvez aqueles momentos pelos quais todo mundo passa na vida e nunca se cansa de receber conselho e saber como outras pessoas decidem encará-lo.

Mas agora chega de blá-blá-blá e vamos ao que interessa! Resolvi falar de vestibular por um motivo muito simples: estou passando por isso.

Já falei isso aqui quase que um trilhão de vezes, mas dessa vez vou abrir um pouco mais meu coração e compartilhar de verdade como está sendo essa experiência pra mim. 

Em uma palavra? Cansativa. Vocês - que ainda não passaram por isso - não tem noção do que é o Ano de Vestibular. Aliás, eu criei um post com dicas para isso né? Bem aqui. Mas cá entre nós, um segredinho: como é difícil seguir, viu?

Eu disse que iria ser sincera: Ralei muito no primeiro semestre, chegava em casa colava minha bunda na cadeira e estudava tudo quanto é matéria até o cair da noite. No segundo, comecei a aliviar e agora com as provas se aproximando vai ficando cada vez mais difícil de me concentrar por um acúmulo de fatores: São meses de noites-mal-dormidas (não porque fui dormir tarde, mas porque é simplesmente exaustivo acordar às cinco da manhã todo dia), nervosismo pré-provas, não conseguir dar uma dentro naquela matéria que você tanto odeia, mas tanto precisa, cansaço de colar a bunda na cadeira e ficar até o final do dia, pressão vinda de tudo quanto é lado sendo atirada pra cima de você, ver seus amigos que já passaram ou mais novos que ainda não precisam se preocupar saindo e se divertindo e você... não, ter que trocar aquele hobby por algo assim mais pé no chão (tipo física), ter que abrir mão de cursos à parte para ficar em casa estudando (FÍSICA!!!!).... já deu para ter uma boa imagem né?

Estamos em Novembro e meu pesadelo está acabando (e o de tantas outras pessoas prestes a começar, aguardem!), esse final de semana terei o ENEM e ao contrário do que muitos pensam a estrada não acaba aqui: tenho mais duas provas depois, e então serão meses de agonia e espera pelo resultado. 

Rola aquele medo de sempre: "E se eu não passar? Como fica?" Essa pergunta ainda não sei como responder (e sinceramente? Espero não saber). 

Não vou apenas ficar me queixando não e esse post não é para ser algo técnico, o Dia-a-Dia é pra ser algo bem solto, leve e pessoal. Um desabafo, um chorinho pequeno, uma conversa. E nem tudo de ruim acontece no Ano de Vestibular - até porque se fosse assim todos os vestibulandos estariam se empilhando embaixo da ponte Rio-Niterói.

Eu quero ressaltar, principalmente, que esse foi um ano diferente. Conheci gente nova, amigos e professores, que me ensinaram muito. Participei de uma viagem à São Paulo pelo Clube de História do meu colégio e pude conhecer a cidade das luzes brasileira, além da bagagem cultura dos vários museus que tive a deliciosa oportunidade de conhecer. 

Depois de anos longe, visitando apenas nas memórias de infância, tive a chance de reconhecer Rio das Ostras e olha só: através das Olimpíadas de Filosofia. E eu nunca serei capaz de expressar em palavras o quanto que eu aprendi nessa viagem: uma competição amigável que mais era uma grande conversa entre um monte de gente do que uma disputa. 

Esse ano, aprendi mais de mim mesma do que achei que aprenderia. Aprendi a me entregar de vez às artes. Não adianta! Quero mesmo viver disso! Quero desenhar, cantar, escrever, criar...

Esse foi o ano em que completei um ano com o meu namorado e em meios à tantas brigas sérias e quase-términos aqui ou ali, percebi que quero mesmo é ficar com ele até que ficar não seja mais possível (e então teremos que, sei lá, casar, talvez? - ai, ele vai implicar tanto comigo quando ler isso aqui).

Esse foi o ano que tive professores tão bons de história e geografia que chegava em casa e começava a contar pra minha família como João Goulart foi desposto ou por que há tantos problemas na Faixa de Gaza. E explico com o maior orgulho, recitando à minha maneira, o que meus mestres me ensinaram em sala.

Esse foi o ano que reatei amizades que se perderam com o tempo, e percebi que realmente perdi outras. Foi o ano também que resgatei uma adorável cadelinha da rua e me sinto feliz por eu estar cuidando dela, dando o tratamento que ela merece.

Esse foi o ano que eu criei este blog. E esta tag. E redescobri meu amor pela escrita que havia perdido sem querer querendo.

Está sendo um ano agitado, e eu tenho certeza que vou ter muito mais para contar nesses dois últimos meses que faltam, mas por ora deixo-lhes um até breve. E espero que vocês também possam tirar um tempo e escrever o seu Dia-a-Dia, mesmo que ninguém leia, só você.

Quero + Pizza • Design e Desenvolvimento por Lariz Santana