quinta-feira, 23 de abril de 2015

5 Figuras da Música Pop que Representam Bem o Público Feminino



Resolvi fazer esse post porque recentemente, passando por uma fase de apenas ouvir pop até não aguentar mais, percebi que muitas das cantoras já tiveram que lidar com situações demasiado desgostosas. E em cada situação foram julgadas por alguém - seja o namorado, os fãs, a produtora ou a sociedade por causa de conceitos machistas ainda em voga. Hoje vou mostrar para vocês 5 mulheres do ramo pop musical e explicar porque elas devem ser admiradas por todos (ao invés de criticadas).

Mas antes de começar, acho que é justo eu pedir desculpas pelo sumiço. Enfrentei alguns problemas de tempo, horário, disposição.... tudo um seguido do outro; A verdade é que estive muito focada na faculdade nessas últimas semanas (semana de provas) e não muito tempo depois fiquei de cama (doente mesmo) por uns quatro dias. Depois disso foi um mero problema de inspiração e voltar ao ritmo de postagens do blog. 

Ok, podemos seguir adiante.



1. Rihanna

A Rihanna talvez seja o maior exemplo desse post inteiro. Para quem não sabe em 2009 saiu uma notícia chocante sobre o relacionamento que a cantora levava, até então, com o Cantor Chris Brown. Ele a havia espancado exaustivamente por causa de uma mensagem de texto que havia recebido um pouco antes - não sei dizer o que a mensagem dizia. Rihanna teve seus olhos inchados, foi mordida e quase sufocada pelo namorado que confiava. E como ela mesma citou à época o pior foram as cicatrizes deixadas por dentro. O "bom" desse ocorrido é que chamou uma atenção muito grande da mídia para um problema que diversas mulheres enfrentam (e algumas até morrem por conta disso). Infelizmente a grande prova do mundo machista em que vivemos é que o máximo que um cantor famoso pegou de "prisão" foram 5 anos em liberdade condicional, 180 horas de serviços comunitários e sua carreira musical intocada - afinal naquele mesmo ano ele lançara um novo single; sucesso absoluto. Vocês verão mais à frente que o tratamento da mídia para com as mulheres é muito mais abusivo e invasivo. Mas o fato dela ter superado um abuso físico do seu namorado não é o único motivo pelo qual devemos admirá-la. Rihanna por vezes sempre foi o tipo de cantora que apoiava a liberdade pessoal acima de tudo, muito segura de sua sexualidade - ela não tem medo de dizer para todos que gosta de sexo, que quer fazer sim e que não vai deixar de fazer, sejam em suas entrevistas, músicas e até nas fotos pessoais do instagram. Rihanna é o exemplo perfeito de mulher empoderada que sabe o que quer e não tem vergonha disso. Todos deveríamos nos inspirar no seu jeito de ser - e não criticá-la por dizer o que gosta ou por vestir o que quer.



2. Britney Spears

Se Rihanna é o primeiro melhor exemplo, talvez Britney seja o segundo. Todos conhecemos a história dela: começou jovem demais no ramo da música (com apenas 15 anos) e desde então tem sido constantemente assediada pela mídia. Britney é um exemplo clássico sobre o quanto a invasão de privacidade pode destruir a vida de alguém (seja expondo vazando vídeos sexuais ou no caso de Britney, paparazzis que simplesmente não conseguiam respeitá-la). Na época, por ser muito jovem, ela não soube administrar (e com razão) tudo o que a acometia: os resultados foram diversos, desde raspar a cabeça até a ataques de crise no meio da rua. E se pensa que qualquer dessas coisas despertava a compaixão das pessoas, está enganado. Criticada de todas as maneiras possíveis, Britney foi convencida de que a culpa daquilo tudo acontecendo era dela. Hoje, mais madura, ela sabe que não é. Ela superou isso e inclusive possui canções que falam um pouco da sua vida conturbada que era (e infelizmente ainda é, pois volta e meia ainda se vê vítima da mídia). Procure por Piece of Me e Circus e  procure entre as letras os absurdos que ela se viu obrigada a passar. 



3. Miley Cyrus

Se você acha que a Miley é apenas uma menina rebelada que no momento está fazendo papel de ridículo, então eu estou aqui para lhe mostrar que nada disso é verdade. A Miley nada mais é o exemplo de mulher que se via presa por causa de outras pessoas e que finalmente se "libertou" e agora pode ser quem ela quiser. Constantemente atacada pela mídia devido ao seu comportamento, quero fazer-lhe entender de onde tudo isso começou. Miley se lançou no mundo das celebridades graças à Disney por causa de um programa chamado Hannah Montana que durou de 2006 até 2011. Até então tudo bem: o programa era um sucesso, assistido por crianças de diferentes idades no mundo inteiro. Mas existia uma parte que nós, meros telespectadores, não víamos e para ser justa só iríamos descobrir anos depois, quando a cantora finalmente saísse da Disney. Miley admitiu para a impressa que era obrigada a agir e a falar determinadas coisas quando em público, seu produtor queria que ela passasse a imagem de boa moça; do contrário iria comprometer a imagem da empresa. Era vista como um produto e não como uma pessoa e quando ela finalmente saiu da Disney, se viu livre para agir como sempre quis. Afinal, ela também estava se descobrindo, assim como Britney, Miley cresceu em frente as câmeras. Porém não foi o que aconteceu. Em vez de livre, a atriz era constantemente lembrada do seu passado - e cobrada a agir de acordo. Seja pelos fãs, seja pela mídia. Não importa. Ela não estava agindo mais como uma boa menina e merecia ser punida por isso. Foram anos de luta para que ela finalmente conseguisse se soltar das amarras que há muitos anos a Disney a impôs. Hoje, talvez estejamos vendo o resultado de tanta perseguição sofrida por muito tempo. E se quer saber? Para mim ela é um exemplo. É um exemplo de força e de realização pessoal - tem coisa mais bonita do que ver o quando a garota está, finalmente, feliz? Ela quebrou padrões e mostrou que mulheres podem sim festejar, xingar e o que mais ela quiser. 



4. Katy Perry

Existe um motivo do porque eu admiro tanto a Katy e não tem nada a ver com o fato de seu namorado a ter deixado quando estava prestes a apresentar um show - foi na última edição do Rock in Rio e ela conseguiu deixar aquilo de lado e entrar no palco para cantar suas músicas. Admiro a Katy porque sua infância foi bem complicada. Não que ela fosse infeliz, ou que sofresse bullying. Mas ela passou pelo tipo de situação que adolescente nenhum deveria passar. Seus pais eram demasiadamente religiosos e controlavam praticamente todos os aspectos da vida da Katy. Ela tinha roupas certas que poderia usar e músicas apenas se fosse gospel, nada além. Imagina então ouvir um Radiohead; Nunca! A verdade é que aos poucos Katy foi percebendo que gostava de cantar - e, de fato, começou cantando músicas gospel. Mas a medida que ia crescendo ela descobriu que aquilo não bastava - ela queria criar suas próprias músicas e queria falar sobre o que realmente a interessava. Com o passar do tempo ficou claro que impedí-la de usar tal coisa, ou ouvir tal disco não eram suficientes, já que ela arranjou um jeito de contornar isso. Como todo adolescente, Katy queria ser livre para se expressar e a necessidade de compartilhar suas experiências era tanta que não deu em outra: suas músicas são recheadas de momentos pessoais que ela faz questão de dividir com seu público. Katy é um exemplo de realidade que acomete várias crianças e adolescentes do mundo inteiro que se veem forçados a seguir determinada linha de conduta através de uma explicação religiosa que nem sequer entendem direito. Radicalismo não leva a lugar nenhum e como comprovado aqui não impede ninguém de nada. Crianças não deveriam ser obrigadas a seguir determinada religião se sequer conhecem sobre ela.



5. Lady Gaga

Empoderamento feminino não é apenas se superar em situações ruins ou difíceis. A Lady Gaga é um exemplo disso. Desde criança já sabia o que queria da vida: ser uma artista. Recentemente a mãe dela até veio ao público explicar que sua maneira "excêntrica" de ser já era algo inerente naquela época e que por vezes Stefani (o nome verdadeiro da cantora) era deixada de lado por seus colegas - que não a entendiam muito bem. Mas não quero contar mais histórias tristes, na realidade quero ressaltar os muitos feitos atingidos por ela. Lady Gaga se envolveu com a música muito nova e começou a ser conhecida por suas composições. Começou colaborando com vários artistas diferentes, dentre eles Akon. Não muito tempo depois ela lançou seu primeiro álbum. Para mostrar o quanto impressionou o ramo da indústria musical: ganhou seu primeiro grammy com Poker Face e os prêmios não pararam por aí. The Fame ganhou melhor álbum eletrônico/dance naquele ano. No MTV Music Awards de 2009 ganhou melhor Artista Revelação e a música Paparazzi foi capaz de abocanhar mais dois prêmios. Em 2011 ganhou de novo mais três Grammys por Melhor Performance Vocal Feminina, Melhor Vídeo Musical e Melhor Álbum Pop. Com Born This Way Gaga mais uma vez quebrou parâmetros estéticos e religiosos - já que várias de suas músicas eram recheadas de críticas. Além disso mostrou que muito além do pop também tinha talento para o Blues ao regravar The Lady is a Tramp ao lado de Tony Bennet. E sua longa lista de prêmios se encerra com talvez o motivo de maior orgulho: Lady Gaga foi a primeira mulher a ganhar um disco de diamante por Bad Romance pela Recording Industry Association of America. Mesmo que não gosta do estilo musical de Gaga é impossível não admitir a artista completa que é e a influência que tem sobre seus fãs e, inclusive, sobre outros artistas como a própria Cindy Lauper apontou uma vez.


Espero que tenham gostado do post de hoje. Mas aproveita e me digam nos comentários: quem você acha que ficou faltando nessa lista e por quê?

Comente com o Facebook!

6 comentários:

  1. Adorei o post! Não tem ninguém melhor para nos representar do que essa divas!
    http://sougarotamesmo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa muito obrigada, foi um dos posts que mais gostei de fazer. Fiquei mt mt feliz quando acabei de escrever. <3

      Excluir
  2. AAAAHHH Katy Perry... Amo muuuitooo!! Amei o post, parabéns. Belo blog!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Katy é uma guerreira <3 Que bom que você gostou <3 Muuuuito obrigada viu?

      Excluir
  3. Miley é maravilhosa! <3
    Sou fã dela desde Hannah Montana, fiquei incomodada no começo por causa da "mudança" dela, mas hoje vejo que ela está melhor do que nunca.
    Adoro o jeito dela de lutar pelos direitos das mulheres e dos homossexuais.
    Falo que ela é uma rainha, e não tenho duvidas disso.
    Rihanna também é outra fofa, adoro ela. E é uma ótima pessoa pra se inspirar, tanto na personalidade como nas roupas e batons.
    Adorei o post.
    Beijinhos

    http://nomundodecoraline.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado do post <3 E realmente a mudança da Miley assustou, mas depois você percebe que ela está feliz e que o cabelo curto, ou a maneira como ela escolhe expressar sua sexualidade não afetaram na maravilhosa pessoa que ela é. Todas elas são guerreiras <3

      Excluir