domingo, 3 de maio de 2015

Harvard: Porque amar é fazer loucuras



Hoje eu trago para vocês uma novidade. A Pandora Fairel é uma autora brasileira que já tem alguns livros publicados (e outros à publicar) e dona desse conto maravilhoso que eu vim compartilhar com vocês. A Pandora, ou como eu gosto de chamá-la, Gabi, liberou ontem essa história na Amazon de graça. É sério gente, até o dia seis vocês vão poder conferir a incrível desventura de niels nesse pequeno conto de onze capítulos. E por que eu vim falar dele aqui?

Conheço ela há muito tempo, posso dizer, desde praticamente o início de sua carreira e a cada trabalho publicado, a cada chamada de meio de noite para pedir ajuda, a cada troca de ideias para futuros projetos eu me impressiono com o talento da menina. Não falo isso só por sermos muito amigas, mas porque a sua escrita é leve e divertida, mas sem deixar o português de lado. Ela usa sim, suas palavras bonitas e rebuscadas, mas também traz tudo isso pra nossa realidade (com direito a muitos merda e ah meu deus) e o resultado são personagens bem construídos e reais - ou seja, você acredita que eles poderiam, sim, existir. 

A facilidade com que ela consegue desenvolver a personalidade de cada um dentro da história e interconectá-los é de cair o queixo. Mesmo aqueles que mal aparecem e só servem para encher linguiça possuem traços marcantes que não passam despercebidos. Além disso, toda a condução que leva um capítulo a outro é muito bem organizada e construída - você lê apenas rápido demais e quando termina se sente até meio... triste.

Cada vez que recebo um novo texto ou uma nova história da Pandora sinto como se fosse ganhar novos amigos, porque ela praticamente os disseca pra você ao longo do texto e é como se estivéssemos vendo seus diários (mesmo sendo em terceira pessoa) ou suas mentes. 

Mas voltemos ao conto em questão.

No geral, eu não sou muito de ler histórias românticas com muitos frufrus e bebês, mas faço um esforço pras comédias da Fairel (em parte porque ela me obriga tão gentilmente, mas também porque realmente gosto da sua escrita). Mas se você é o tipo de menina que ama uma história de amor então se joga nos livros dela, por favor. Continuando... eu realmente não sou fã. Porém, desse conto eu gostei. 

Sim, ele é bonitinho. Sim, ele tem frufus. Sim, ele é bem Disney (e eu não vou nem comentar esses nomes não é mesmo Gabriella?)

Mas a verdade é que você esquece disso enquanto lê porque a leveza de suas palavras deixa tudo mais alegre e aí você se pega rindo, ou no mínimo, sorrindo das trapalhadas da Samantha (Ou Harvard, já que muito provavelmente ela não gostaria que eu estivesse usando seu primeiro nome - quem leu, entendeu). E o que falar do Niels? O nosso amargurado protagonista que aos poucos mostra que ele, pode sim, nos conquistar com o seu jeito irritantemente sofrível de ser.

E eu falei demais dos personagens antes de sequer passar pelo que se trata a história, então vamos lá: Niels é o cara da vez. Ele está atordoado após o término inesperado de um relacionamento de dois anos com uma menina chamada (e eu nunca vou superar a escolha desse nome) Cinel - sim, você leu direito. O primeiro capítulo acompanha a luta de seus amigos de o convencerem a largar a autopiedade pra lá e ir se divertir em uma festa (cujo tema é Eu odeio o Dia dos Namorados - adorável, não?). E é nessa festa que o Niels encontra a menina da vez. Harvard é uma ruiva de olhos claros com sardas bonitinhas cobrindo seu rosto e uma personalidade devastadoramente agitada - ela é a pura definição do improviso e da impulsividade. E é essa impulsividade que a faz decidir salvar o relacionamento fracassado do personagem principal. É aí que a diversão começa de verdade, eles partem na noite (uma longa noite) atrás do plano infalível para fazer com que a Cinel aceite o Niels de volta. 

Não vou estragar o final para vocês. São apenas onze capítulos, é lindo de ler. É gostoso. É rapidinho. Igualzinho a sexo. Então se joga, porque você não vai perder nem meia hora e ainda vai conhecer uma autora incrível. 

E eu não estou falando isso só porque somos amigas, ela é boa mesmo. Se não fosse Harvard não teria atingido primeiro lugar dos mais baixados ontem de madrugada. E eu já falei que você pode comprovar isso de graça até o dia seis? Pois é. Então corre.

Caso tenha se interessado você pode acompanhá-la no seu Site profissional ou na Página de sua pessoa no face com as novidades de todos os seus próximos livros que estão por vir (aliás, já indico Muro das Maravilhas). E vocês podem encontrar o conto aqui.

E me contem aqui embaixo nos comentários o que acharam das aventuras de Harvard e Niels.

Comente com o Facebook!

Nenhum comentário:

Postar um comentário