COMO EDITO MINHAS FOTOS + MEUS APPS DE FOTOGRAFIA

sexta-feira, 31 de março de 2017

Bom dia gente, como vocês estão nessa sexta-feira? Final de semana tá chegando e eu vou encerrar a semana com um post de dicas de edição. Eu sei que editar é uma coisa que muita gente tem dúvida, ou ainda não sabe muito bem como funciona, ou simplesmente quer melhorar e busca novas ferramentas e novos jeitos. 

Eu estou aqui hoje para ensinar o meu jeito (não considero o meu jeito melhor ou pior de outros por aí, apenas é o que funciona e me atende no momento). Aqui eu vou dar dicas do que eu penso na hora de editar, como eu utilizo as ferramentas e os filtros oferecidos e como adequar a foto ao tipo de edição que ela precisa. Pra começar eu separo minhas fotos: fotos tiradas com o celular eu edito nos aplicativos do celular (por ser mais rápido e prático, ficar passando foto do celular para o computador me toma um tempo que muitas vezes eu não tenho). Já para fotos com a câmera eu prefiro sempre editar nos programas da Adobe (Photoshop ou Lightroom - falarei melhor sobre eles em outro post), porque são programas que retém melhor a qualidade da Imagem. 




Entenda uma coisa sobre aplicativos (e qualquer programa num geral): todos, sem exceção, diminuem a qualidade da sua foto, alguns são mais perceptíveis que outros. Então é preciso ter cuidado para não "editar demais" e nunca, nunca, nunca, editar por cima de uma foto JÁ editada. Isso prejudica demais a foto.

A Edição ela serve para acertar e realçar pontos da fotografia que não foram acertados na hora de bater a foto: coisas como contraste, luz e sombras, cores, saturação e etc. Mas você sabe pra que serve cada uma dessas ferramentas? Então calma que eu vou explicar. As ferramentas são separadas em três tipos: as básicas, as que editam luz e sombra e as que editam as cores. 

As básicas são aquelas que acertam algo na sua foto sem alterar muito - se vc só usar elas é menos perceptível comparando o antes e o depois que algo foi feito. São as ferramentas de corte e enquadramento, rotação, perspectiva, nitidez e claridade, granulação etc. 

As que editam luz e sombra normalmente são as de contraste, exposição, brilho, luminância, realces e sombras, esmaecimento e etc (elas vão mexer na luz e na sombra ou realçar os pretos e brancos contidos ali).

As que editam cor normalmente são as de saturação, curvas, vibratilidade (vibrância), temperatura, matiz (tom de pele também, no vsco cam, falarei sobre ele mais embaixo) e é claro: os filtros. 

Atenção: apenas passar o filtro na sua foto não significa editar, a edição requer mais que isso. Só jogar o filtro por cima não garante que a sua foto vá ficar bem editada, pois muitas vezes é preciso acertar alguma coisa para realçar o que você quer ser realçado - o filtro ele funciona como uma capa em cima da foto. Edita tudo de uma vez. 

Claro que nos aplicativos a edição como um todo vai funcionar na foto por completo, ainda que algumas ferramentas só realcem parte dela. Para editar algo mais específico como, por exemplo, apenas a pele de uma pessoa, sugiro que use o Photoshop. 

Resumidamente: edição quer dizer entender de cores e luz - um fotógrafo que entende muito dessas duas coisas dificilmente precisaria editar a foto depois, pois conseguiria reproduzir corretamente na hora de bater a foto, por exemplo. 




Quando eu vou editar uma foto minha a primeira coisa que eu faço é separar mentalmente as cores que existem naquela foto. Vamos pegar como exemplo, essa foto, do meu post de Paquetá: 


O foco da minha foto, nesse caso, é a flor amarela além disso eu sei que tem as folhagens verdes atrás e que principalmente, possui um ponto de luz muito grande sobre a flor e um foco de sombras muito grande sobre as folhas. O que eu queria para essa foto era por em destaque a flor amarela, sem necessariamente realçar a folhagem atrás, pois ela não é importante. 




Então o que eu fiz? Eu aumentei as sombras que estavam atrás, assim tornando mais difícil de diferenciar folhas de sombra e realcei os tons de luz e de amarelo contidos na foto. Também realcei os detalhes da flor com a nitidez, tornando possível até mesmo ver um leve brilho contido nas suas pétalas (que antes não era possível). O resultado me trouxe mais impacto visualmente e seu olhar foi completamente direcionado para onde deve ser: para a flor. Depois de editada: 


Deu para entender, mais ou menos, como a edição funciona? Deixa nos comentários as suas dúvidas que eu vou ter o maior prazer em tirá-las. Mas agora vamos falar dos apps que eu uso:



01. VSCO CAM

Esse é o aplicativo que eu mais uso para edição no celular. Eu adoro principalmente as ferramentas do Vsco Cam, eu acho que elas são as melhores que tem se comparadas com outros aplicativos. Além disso ele é muito fácil de entender, pois as ferramentas são visualmente bem perceptíveis (se você quer saber pra que uma ferramenta serve basta levar a barra ao máximo em ambos os lados e ver como ela altera sua foto). Tem um ponto fraco: a qualidade da foto diminui sim no Vsco Cam. E é bastante. Se a câmera do seu celular for muito boa, então talvez você não perceba (mas se por exemplo, passar para o computador, já vai ser possível notar uma diferença). Isso porque o monitor do celular é muito pequeno, portanto ele nos passa a falsa sensação de qualidade (para comprovar se a qualidade caiu muito ou pouco, dê um zoom depois de salvar a foto e compare com a original), já que possui menos detalhes. No computador, uma tela consideravelmente maior, a gente vê a foto maior também, portanto é possível ver com mais profundidade a qualidade da foto. Claro que: se a sua foto for de muita boa qualidade (ex: 4.000 pixels pra cima) a degradação na foto vai ser muito menos perceptível. 

Quando você clica para editar a foto, você tem 4 áreas: a parte dos filtros, das ferramentas, o desfazer e o histórico. Os filtros é bem simples de entender: o vsco trabalha com famílias então eles tem os filtros do C1 ao C6, por exemplo e outra coisa que ele tem também é a cor predominante naquele filtro: ou seja a cor que ele mais realça. Na família dos C's, a cor é um laranja bem pigmentado (ou seja ele também pode alterar levemente até um vermelho). Seguindo as cores de cada tipo de filtro você consegue ter uma noção melhor de qual usar. Claro que: num geral você acaba utilizando uns dois ou três dos quais gostam mais. Só porque a cor predominante é laranja, não significa que você não possa usar em outras fotos. 

A real diferença é feita nas ferramentas, pois são elas que fazem as mudanças realmente significativas nas fotos. Muitas vezes eu acabo usando os mesmos filtros e só altero as ferramentas, pois ninguém tem paciência para ficar olhando cada filtro dentro do vsco, já que são muitos. As ferramentas eu já expliquei pra que cada uma serve, basta voltar lá em cima. O desfazer serve para você desfazer uma ação, se você editou e sem querer deu ok, pode simplesmente clicar no desfazer que ele tira essa ação. E o histórico contém todas as informações de edição que você utilizou na foto. O vsco também tem uma coisa incrível que te permite copiar as edições feitas naquela fotografia e colar em outras, assim você edita mais rápido fotos com luminosidades e cores parecidas, sem precisar ter que fazer tudo do zero (eu uso MUITO essa opção). 



02. PICSART

O Picsart é um dos aplicativos mais completos pra celular, ele possui, inclusive, opções muito parecidas com as do Photoshop. Você pode fazer montagens através dele, pode alterar o fundo da foto, fazer overlay (quando você coloca uma foto em cima da outra, sendo que a foto de cima é mais transparente dando a sensação de ser uma foto só), escrever texto nas fotos, acrescentar bordas, mudar a forma da foto, desenhar, enfim... Ele é bem completo. Se você quer fazer fotos diferentes e mais bem trabalhadas eu sugiro que tenha esse aplicativo no celular. Além de também possuir a aba de ferramentas e efeitos que se assemelham aos filtros e as ferramentas do vsco cam (com algumas coisas a mais, tipo clonar, esticar, movimento, desfoque, distorcer...). Eu uso mais ele quando quero fazer algo na foto além da edição básica, pois como já disse, prefiro fazer isso no vsco cam. Veja também essa playlist no canal da Ingrid Gleize, ela usa bastante o Picsart e ensina várias coisas que você pode fazer com ele. 





03. AIRBRUSH

Sabe o Facetune? Pois é, esse app é o equivalente grátis do Facetune. Ele é ÓTIMO para selfies e pra quem tem feed branco, ele é ótimo. Na época que eu tinha usava a opcão Clarear o tempo todo que deixava o fundo das fotos branco. Ele também remove espinhas, objetos e até pessoas, tira olheiras, aumenta o brilho da Íris e até oferece Maquiagem atualmente (porém confesso que para maquiagem eu prefiro o Makeup Plus, leia sobre ele mais embaixo). Ele também tem filtros próprios para selfies e estilos de selfies diferentes (e seguindo a mesma linha do vsco ele também mostra as cores que mais alteram e também pode alterar a intensidade do filtro usado).



04. MAKE UP PLUS

Esse é o app pra você que ADORA maquiagem e ODEIA postar foto sem maquiagem. Ele fica muito natural, juro. Além disso ele tem muitas opções para você escolher e até filtros com maquiagens artísticas. Tem as maquiagens prontas ou você pode fazer a sua própria maquiagem já que ele vem com as diferentes áreas em separados (contorno, base, batom, sombras, blush). Atualmente você consegue até mesmo mudar a cor do cabelo no aplicativo (apesar da ferramenta ainda ser bem simples, não funciona em todos os tipos e se seu cabelo é loiro, é melhor). Também tem uma área que você pode especificar exatamente onde você quer que tenha maquiagem, se pelo ângulo da foto um olho seu tá aparecendo menor e o make up plus colocou a maquiagem maior, você pode editar até estar do tamanho certo. 



05. COLOR STORY

Esse é outro app de edição básica, bem parecido com o Vsco Cam, porém eu dou a ele uma finalidade diferente. Sabe aquelas fotos super coloridas? Com fundos rosas, amarelos, azuis... pois é, esse aplicativo é o IDEAL para fotos assim. Os filtros dele são baseados totalmente em realçar cor, então se você quer mexer na cor da sua foto, ou deixá-la mais vibrante, mais viva. Esse app é ótimo. Inclusive toda a propaganda desse app é feita em cima disso: edição de fotos com muitas cores (inclusive super indico o instagram deles para inspiração, as fotos são lindas). Logo que você escolhe uma foto aparece de cara a tela com as ferramentas de enquadramento: corte, alinhamento, rotação. Para você acertar logo o tamanho que você quer e coisas como o horizonte da foto (é sempre preferível que o horizonte esteja alinhado horizontalmente). Se você não quiser alterar nada aqui, basta dar continue. Então a gente vai para tela inicial, onde tem as abas de filtros, efeitos e ferramentas, salvos e loja. O único que diferencia aqui são os efeitos e os salvos. Os salvos é a sua galeria de edições salvas. Logo depois que você edita uma foto, você tem a opção de salvar a edição e usar futuramente (tipo o colar edições do vsco, só que mais organizado, em uma pasta com os nomes e tal). E os efeitos seriam aquelas efeitos que você vê por aí: bokeh, flare, lightleak e etc. Mas eles oferecem poucas opções, para conseguir os realmente bons é preciso pagar. 


06. OUTROS APLICATIVOS

Além desses aplicativos eu vou falar rapidamente de mais dois aplicativos que eu tenho, mas não uso muito: o Afterlight e o Pxlr. O Afterlight é de edição também e parecido com todos os outros ele possui as ferramentas básicas de corte, os filtros, efeitos e os ajustes. Eu gosto de usar o Afterlight para clareas imagens, quando o vsco não dá conta, eu corro pra ele para ajustar melhor o brilho e deixar a foto mais clara. O brilho dele, principalmente, é muito bom. Ele também tem aqueles efeitos que o Color Story oferece, só que aqui existem muito mais possibilidades de usar e várias opções. De todos, ele é o único pago. E eu só consegui, pois teve uma promoção na Apple Store que ele ficou de graça por três dias. E o último aplicativo é o Autodesk Pixlr, que esse sim é de graça. Gosto do Pxlr, por ele ter a opção de colagens também (aquelas montagens de várias fotos em uma só) e é para isso que eu mais uso ele mesmo. Ele também tem a opção de escrever na imagem (e eu acho que algumas fontes que ele oferece são até melhores que a do PicsArt, pois tem mais opções básicas e simples e ele também separa as fontes por estilos, o que torna muito mais fácil na hora de escolher). Além disso, se você tiver android, consegue salvar na opcão PNG que para monitores e internet, é melhor e mantém mais qualidade (veja o tutorial de como fazer isso aqui). 

E esse foi o post de hoje. Espero que vocês tenham gostado e que isso ajude vocês na hora de editar. Eu tentei explicar o melhor que eu pude, pois não existe um guia passo a passo de como fazer, cada foto é uma foto e pede uma edição que se adeque a ela. Mas saiba que quanto mais você praticar, mais buscar conhecimento e mais testar ferramentas e aplicativos, melhor você sabe. E isso também te permite a entender qual seu estilo na edição, quais ferramentas e apps que mais te atendem e combinam com você; editar fotos também é um tipo de expressão sobre a sua personalidade. 

Comentem aqui embaixo o que vocês acharam. Já conheciam esses aplicativos? Qual você gostou mais? Se você gostou não esqueça de compartilhar a postagem pra que ajude mais pessoas também. 

Curta a página do Quero Mais Pizza no Facebook e me siga no @queromaisfotos no Instagram. Eu adoro postar dicas de edição e compartilhar os filtros que eu uso no meu Stories, então fique ligado pra saber mais. 

Até o próximo post <3

5 MARCAS DO TOKYO FASHION WEEK PRA CONHECER

quarta-feira, 29 de março de 2017

Eu nunca trouxe posts dos looks de passarela pro blog (apesar dele ser de moda), mas isso não significa que eu não acompanhe e goste dos desfiles das marcas. A questão é que eu não gosto de fazer conteúdo repetido, motivo pelo qual reformulei o Tá na Moda. Não me atrai a ideia de vocês acharem no meu blog o mesmo que acha em qualquer outro blog de moda. Talvez seja meu signo falando (sou aquariana), mas eu gosto de ser diferente.




Brincadeiras à parte: eu nem entendo nada de signo. Enfim, eu finalmente pensei em um jeito de trazer conteúdo novo para vocês. Os desfiles acontecem ao longo de todo o ano, seguindo as estações e o que muita gente não sabe é que cidades diferentes tem semanas de moda em épocas diferentes. Dito isso: vocês já ouviram falar do Tokyo Fashion Week

Como segue a tendência ao redor do mundo, cada época do ano representa uma paleta de cores, designs e novas apostas. Eu vim aqui falar do Tokyo Fall 2017 e vim apresentar 5 marcas que eu tenho CERTEZA, vocês não conheciam. 

Os desfiles de Tokyo costumam ser bem carregados e bem exagerados no seu Design, normalmente eles gostam de formas geométricas e de bastante volume, podendo levar o desfile para dois lados: cores sóbrias ou cores muito coloridas e chamativas. É tudo bem conceitual e representa muito bem a cultura japonesa. Sobreposições também aparecem com frequência. Mas agora deixa eu mostrar pra vocês as marcas:

(Clique nos nomes para serem redirecionados ao site e nas críticas para serem redirecionados as críticas originais. Clique nas imagens para vê-las maiores)



É uma marca conceitual que existe desde 2014 e tem como objetivo trazer sentido à fantasia que se esconde na realidade. Eles consideram que a proposta de suas roupas é fazer com que as pessoas sintam o modo de vida e a atitude daquelas que usam a marca, apenas com o olhar. A designer é a Akiko Aoki (sim, que dá o nome à marca). 

Crítica do Desfile por Monica Kim, Vogue: "... nessa estação ela foi inspirada por folclores nativos ao redor do mundo, visando trazer um design voltado para um modo mais primitivo de se pensar. "Hoje em dia as pessoas tem estado muito raivosas", ela explicou depois do show, "eu queria voltar para um estilo mais simples de ver as coisas". Ela começa contrastando motivos clássicos e construções com uma cor vibrante. [...] "Tudo deve ser diferente, se visto de frente, de costas e de lado", disse  ela..."



02. Chika Kisada

A elegância do Ballet, unida com a energia do Punk. Essa é a principal proposta da marca que utiliza do conceito da Elegância Vital, nascido a partir da ideia de integrar imagens contrastantes. A linha busca a presença e a beleza que o corpo humano cria com seus movimentos e gesticulados. Essa linha de roupas é principalmente para a mulher que vive na cidade, que está sempre se movimentando e que procura um novo tipo de qualidade. Chika Kisada estudou ballet clássico desde que era jovem e possui incontáveis prêmios e honras. Com a inspiração do ballet, da música e dos ares urbanos, ela cria roupas para mulheres que vivem com intensidade.

Crítica do Desfile por Ashley Clarke, Vogue: "Chika Kisada cria roupas vindas de contos-de-fadas que combina elegância feminina com o girl power (na crítica original ela fala sobre tough-girl attitude, que significa algo como força feminina, atitude forte... eu achei que a expressão girl power se encaixaria melhor para o entendimento). Esse foi seu primeiro desfile de Kisada no Tokyo Fashion Week, mas se você se basear apenas pela coesão do desfile, nunca teria adivinhado. Haviam alguns toques previsíveis do ballet, mas por Kisada se auto denominar uma Bailarina Punk, ela trouxe também outros elementos mais fortes como boundage e jaquetas de couro [...] Firme e delicado, infantil e sério; essa coleção é toda sobre os conflitos internos que que passamos quando, depois de anos sonhando com a vida adulta na infância, ao chegarmos lá começamos a nos questionar como o tempo passou rápido..."

Repararam no veludo na quarta foto?



03. Doublet

Conforto peculiar. Essa é a frase que define a marca. Criada em 2012, a sua primeira coleção, na verdade, saiu na Primavera-Verão de 2013. É uma marca de moda masculina que busca itens confortáveis e tenta reformulá-los com toques de estranheza. Seu designer é o Masayuki Ino, que ganhou o prêmio de 2013 Tokyo New Designer Fashion Award, com essa coleção.

Crítica do Desfile por Ashley Clarke, Vogue: "[...] Os rostos das modelos eram pintados com um aspecto oleoso para parecer que elas haviam acabado de sair de uma balada, com flashes azuis e verdes dançando pela passarela. As roupas também tinham uma pegada mais balada: uma t-shirt desbotada com uma estampa de Marilyn Mason na frente e Sex is dead estampado atrás. A mensagem disseminada nas roupas era de ironia com um certo quê de anti moda. [...] O que mais se destacou foi a mistura de modelos profissionais e não-profissionais que desfilaram na passarela. [...] "É sobre o caráter individual de cada um. Eu não quero saber se é legal", disse o designer..."



04. Growing Pains

A designer Yulia, uma figura icônica multi-talentosa do Japão, se inspira através de diversos tipos de arte, incluindo músicas, filmes, da cultura underground e diferentes movimentos ao redor do mundo. Growing Pains é uma marca fashion que mostra toda a criatividade de Yulia através de suas inúmeras perspectivas como artista. Também comemora um pouco de humor, com toda a proposta de aproveitar a moda como uma forma de expressão.

Crítica do Desfile por Monica Kim, Vogue: "Em um estacionamento de cinco andares de um prédio industrial em cima do Shibuya Club, é onde Madeimoselle Yulia decide apresentar seu primeiro desfile para sua marca de 2 anos de idade Growing Pains. Seu status como uma DJ electro-pop tornou global o seu estilo [...] "uma enfermeira, uma diarista, esse tipo de gente" Yulia explica, "misturados com o estilo militar que existe hoje em dia". O resultado foi um elenco cheio de médicos militares com uma inesperada surpresa: uma saia divertida circular feita em látex preto, bolsas médicas feitas com estampa de leopardo. "Eu queria adicionar um pouco de fetiches", ela acrescenta, "se eu uso apenas materiais normais vai ser apenas roupas militares, mas eu queria acrescentar a fantasia"..."



05. Hanae Mori Manuscrit

O Leste encontra o Oeste: representa a fusão do Ocidente com o Oriente - é o conceito que Hanae Mori tem constantemente aderido desde que ela começou suas atividade criativas, em 1951. Com um estilo original de preservar a essência estética do Oriente na cultura Ocidental. "A moda não é apenas sobre roupas, mas sim a tudo que está ligado a um estilo de vida", diz Hanae. A marca propõe desenvolver e manter um estilo contemporâneo em um clima de riqueza e beleza. A beleza simples japonesa com requintes de sensibilidade.

Crítica do Desfile por Monica Kim, Vogue: "Atribuído com o nome de um dos designers mais apreciados do Japão, Yu Amatsu tem um pouco de um legado para proteger em Hanae Mori Manuscrit. De um modo geral, ele se manteve no tipo de peças polidas e femininas que seu cliente espera - saias e vestidos frouxos, drapeados e plissados em tons suaves. O mais forte parece jogado com detalhes de madeira natural [...]. No entanto, pode ter sido a dose exata de experimentação fora da caixa que a mulher Hanae Mori precisa levar para casa nesta temporada, para expandir seus horizontes para a próxima vez."





Essas foram as cinco marcas do Tokyo Fashion Week que me chamaram a atenção. Eu gosto muito da ideia de separar a roupa do dia-a-dia da roupa Design, a roupa conceitual, a roupa que carrega uma mensagem além de tecidos. Essas marcas me impressionaram pelo fato de unirem ideias únicas com um design tão complexo e original.

Eu espero que vocês tenham gostado de conhecer um pouco mais da parte conceitual da moda (que é uma das minhas paixões) e eu decidi trazer as marcas de Tokyo justamente pelo seu impacto visual.

Me contem nos comentários quais marcas vocês mais gostaram. Gostaram desse estilo de post? Compartilhe também se você gostou, especialmente com os amantes de moda que vocês conhecem. Aposto que eles vão gostar.

Não se esqueçam de curtir o Quero Mais Pizza no Facebook e me seguir no @queromaisfotos no Instagram, eu to sempre dando dicas por lá.

Até o próximo post <3


#QUEROMAISVIAGENS: ILHA DE PAQUETÁ

segunda-feira, 27 de março de 2017

Eu juro que eu tento manter meu cronograma de postagens, só que MAIS ideias vão surgindo e eu apenas sinto que PRECISO compartilhar com vocês. Na sexta-feira, dia 24/03, eu fui para Paquetá com o meu namorado, que é uma ilhazinha muito fofa e muito agradável do Rio. Pegando a barca partindo do Centro da Cidade (na Praça XV) você chega lá em aproximadamente 40 minutos (se você pegar o Catamarã, nos finais de semana há a possibilidade de pegar a Barca e aí leva em torno de uma hora e meia).

É CLARO que eu tirei algumas fotos e que eu vou mostrar todas elas pra vocês. Eu queria ter tirado muito mais, só que a burra aqui, esqueceu o cartão de memória da câmera no meu computador. Conclusão: com a câmera só consegui tirar 20 fotos. A salvação foi o meu celular e o do Lucas, mas mesmo assim não tirei muita coisa não. 

Alguém sabe que pássaro é esse? Eu e Lucas achamos ele muito bonito. Tirada com Nikon L820
Eu confesso que dormi na ida e na volta pra casa, porque tinha dormido mal nos últimos dois dias. Fiz meu namorado de travesseiro mesmo (é pra isso que ele serve né? haha). Ah, isso é importante: chequem o horário das barcas pelo MOOVIT, não chequem no site, pois as vezes o horário do site é do final de semana e não de segunda a sexta. A gente acordou às 6:00 AM achando que íamos pegar a barca às 9:30 AM e chegando lá descobrimos que não tinha barca nesse horário na quinta feira. A gente acabou pegando a das 10:30 AM.



Chegando em Paquetá, a primeira coisa que fizemos foi tirar foto do mapa (a gente sempre faz isso, pra não se perder depois - a ilha é pequena, mas pra quem não conhece quebra o maior galho), batemos algumas fotos e depois fomos direto comer, porque já era quase meio dia. Fomos almoçar em um restaurante chamado Meu Cantinho (descendo a praia José Bonifácio, vai ter uma rua com uma casa rosa na esquina, vira na esquina, tem uma casa azul logo no início - o restaurante é em frente a essa casa azul). 

Adoro tirar fotos de flores, porque elas ficam muito bonitas em fotos. Tirada com Nikon L820
A comida em Paquetá é bem cara, principalmente por ser uma cidade turística. Esse restaurante é o que eu e meu namorado fomos da última vez que tinha sido bem em conta, mas dessa vez ele já foi um pouco mais caro. Pedimos um prato individual de Bife com arroz, farofa, batata frita e molho à campanha que custou R$27,00, cada. E também uma porção de feijão que custou R$10,00. Ou seja não tá muito barato, nem muito caro, pois a quantidade de comida que vem é BASTANTE mesmo. Nós dois ficamos super bem alimentados, só voltando a sentir fome à noite, lá para umas 19:00 PM. Ah, e a porção de feijão era bem generosa, acho que servia tranquilamente 3 pessoas, talvez até 4. Deu e sobrou pra nós dois.  

Logo depois da comida, fomos andando até o Parque Dark, que é um dos pontos turísticos mais conhecidos e visitados de Paquetá. Lá sentamos e descansamos um pouco e eu aproveitei para fazer uma mini sessão de fotos com o Lucas, fiquei tirando umas fotos dele. Lá é muito bonito e agradável, venta bastante então você não sente tanto o calor que faz por lá. Só cuidado porque tem muitas formigas gigantes - aquelas com uma cabeça enorme vermelha (que provavelmente picam se entrarem em contato com a sua pele). 

Encontramos uma casa com vários gatos e eu tentei fotografar alguns. Tirada com Nikon L820.
Fomos, então, à praia. Pegamos uma charrete elétrica porque eu estava começando a ficar com dores na Lombar (por causa das fotos que havia feito com a Fernanda no dia anterior) então o Lucas sugeriu de pegarmos a Charrete, pra eu não ficar me esforçando. Elas funcionam como o Táxi da cidade, custa R$15,00 uma viagem - pra qualquer lugar da ilha. A praia que escolhemos foi a Praia de São Roque, por dois motivos: a José Bonifácio e a da Moreninha, que são as mais próximas da saída das Barcas, normalmente são as que ficam mais cheias. Porque é ali perto, mais fácil de achar e etc. Além disso, também costumam ser as mais poluídas, pelo mesmo motivo de que mais pessoas vão ali, as que tem pra dentro da Ilha são mais limpas e mais transparentes (curiosidade: a água às vezes aparenta ser marrom por conta da quantidade de algas que tem no fundo, assim ela reflete a coloração delas - o moço da charrete explicou pra gente). Ela fica exatamente em frente a Casa das Artes de Paquetá, que também é muito bonita. Conta a história de Paquetá, vale a pena dar uma olhada.


Fiz uma pequena sessão de fotos com o Lucas, lá no Parque Dark. Tirada com: Nikon L820.
Ficamos por volta de uma hora na praia e depois voltamos para pegar a barca das 16:30 PM (a gente ia voltar na das 18:30, mas como eu disse, minha lombar tava doendo muito então decidimos voltar antes). Roubei o celular do meu namorado e bati mais algumas fotos e foi isso. Chegamos no Rio por volta das 18:00 PM e fomos para a minha casa onde tudo terminou em pizza. 

Se você mora na Tijuca, no Rio de Janeiro: recomendo a Pizzaria Volpato: eles não cobram taxa de entrega, a pizza é MUITO gostosa (melhor catupiry que já comi na vida) e eles possuem preços mais ou menos padronizados. A maioria dos sabores e tamanhos possuem o mesmo preço, apenas uma ou outra pizza que eles deixam um pouco mais caro. E o maior tamanho, se chama Maracanã, é BEM GRANDE. Sério, no site diz que serve 6 pessoas, mas as fatias desse tamanho são bem generosas. É quase como se uma fatia da Maracanã fossem duas da Família. 

Aliás se só forem comer duas ou três pessoas: a Família é o tamanho ideal (e a maioria dos sabores custam R$44,00 na Família. A Maracanã custa R$59,00). 

MAIS FOTOS:

Essa foto foi tirada pelo Lucas, porque eu não tinha altura mesmo. Tirada com: Moto G 4 Plus
A única foto que eu tirei de mim foi uma selfie. Tirada com: Iphone 5S
Eu tava andando e aí vi essas manchas de tinta no chão, achei bonito e bati uma foto. Tirada com IPhone 5S
Punho de Ferro vibes. Tirada com: Iphone 5S
Mais flores lindas. Tirada com: Moto G 4 Plus
Eu amei essa foto. Tirada com: Nikon L820
Das fotos de natureza, essa foi a minha favorita, por causa da abelhinha. Tirada com: Moto G 4 Plus
Adoro tirar fotos do Lucas de perfil, porque acho que ele fica muito bonito. Tirada com: Iphone 5S
Outra foto da abelhinha, amei essa abelha. Tirada com: Moto G 4 Plus
Acho que de todas as fotos, essa foi a que mais gostei porque parece muito natural. Tirada com: Nikon L820
Tirada com: Nikon L820
Eu fiquei apaixonada nesse gato. Olha essas cores. Tirada com: Nikon L820
Eu simplesmente fiquei apaixonada por essa foto. Tirada com: Nikon L820
Essa foi a última foto do Lucas, a favorita dele e a Capa do post. Tirada com: Nikon L820 e editada pela Fernanda Cândido
E essa foi a minha Sexta Feira galera, espero que vocês tenham gostado do post de hoje. Me contem aqui nos comentários o que vocês acharam da minha (mini) viagem para Paquetá. Vocês gostaram das fotos? Sentiram vontade de conhecer também? Quero saber!

Compartilhem o post com aquela sua amiga ou amigo que ama viajar, dê essa dica pra ele. E não se esqueça de me acompanhar nas redes sociais do Blog. A página do Quero Mais Pizza no Facebook e o @queromaisfotos no Instagram. 

Até o próximo post <3

TUTORIAL: MUDANDO A COR DO FUNDO NO PICSART

sexta-feira, 24 de março de 2017


O post de hoje é um tutorial mega especial, nele eu vou ensinar a vocês como mudar a cor do fundo das fotos de maneira rápida e fácil. Primeiro que não é preciso usar programas, é tudo feito no aplicativo do celular: o Picsart. E eu não apenas vou ensinar como fazer, como vou te dar DUAS opções diferentes de como fazer isso no mesmo aplicativo. 
Então mãos a obra, pegue suas fotos, pegue sua imaginação e pegue seu celular e vamos nos divertir colorindo as fotos (ah e essa mesma técnica pode ser aplicada para mudar a cor do cabelo, por exemplo). 



MODO NÚMERO UM

01. Aqui é bem simples, é só abrir o aplicativo e escolher a foto que você deseja usar.
02. Depois você vai clicar em efeitos e depois em cor.
03. Em seguida você vai clicar em Repor cor. Um anel vai aparecer na sua foto. Você vai arrastá-lo até a cor que você deseja mudar. Ele vai alterar todas as cores existentes na sua fotografia cuja pigmentação você escolheu (no meu caso, o vermelho).
04. Daí você clica em cima de Repor cor novamente e uma janela com ferramentas vai abrir, pra ir alterando a cor é só ir mexendo nas barras da maneira que preferir (a primeira muda a coloração e as duas últimas alteram o preenchimento).
05. Você vai clicar na borracha e apagar as partes da foto que ele alterou e você não queria que alterasse. Se apagar demais você pode repintar com o pincel, ao lado.
06. Quando terminar de apagar é só confirmar e salvar a foto. Prontinho!

Dica: eu sempre deixo o tamanho do pincel e da borracha entre 10 e 20, pois fica mais fácil de apagar sem borrar. Você também pode dar zoom na imagem pra acertar os cantinhos. 

   






MODO NÚMERO DOIS

01. Repita os passos 01 e 02 do modo um.
02. Dessa vez você vai clicar duas vezes em Colorir, ao invés de Repor Cor.
03. Na segunda vez uma barra de ferramentas vai aparecer, novamente é só mexer nela até encontrar a melhor cor. 
04. Você vai clicar na borracha novamente e vai apagar as partes da foto que não quer manter colorida. Use o pincel para acertar, se necessário.
05. Depois é só salvar a foto e pronto.

Dica: Se você quiser também pode usar um modo de mesclagem, fica logo abaixo da caixa de ferramentas e eles dão uma nova coloração. Esse modo também é melhor para pintar cabelo (e os modos de mesclagens deixam mais realistas - adoro o Multiply, por exemplo). Mas se você quiser também dá pra fazer com o modo um (só é mais chatinho).







COM DUAS CORES:

01. Apenas no Modo um que é possível alterar duas cores de jeitos diferentes. 
02. Você vai repetir o modo um normalmente.
03. No final, você vai clicar numa caixinha de + do lado da sua cor escolhida.  O anel aparecerá novamente. Você escolhe outra cor e repete os passos. Depois é só salvar. 



Então foi isso galera, eu espero que vocês tenham gostado do tutorial de hoje. Me contem nos comentários o que vocês acharam. Espero que isso seja útil aí na edição de vocês... 

Não se esqueçam de compartilhar a postagem para que mais pessoas aprendam e deixar aqui embaixo nos comentários o que vocês gostariam de ver no próximo tutorial. 

Curtam também a página do Quero Mais Pizza no Facebook e me sigam no Instagram, @queromaisfotos. Eu to sempre postando dicas legais e coisas do meu dia a dia no Stories também, então me acompanhem por lá <3.

Até o próximo post <3

TÁ NA MODA: PRETO E BRANCO

quarta-feira, 22 de março de 2017

Hoje estou voltando com um quadro antigo aqui do Blog que eu apelidei de Tá na Moda, é o quadro onde eu trato principalmente sobre tendências. Mas vocês sabem que aqui eu gosto de tratar dos assuntos relacionados a moda de maneira diferenciada e original. Mais do que inspirar vocês com looks prontos da Internet, eu quero mostrar que é possível criar looks baratos, usar o que está em alta e manter a sua personalidade. É por isso que eu repaginei o design do quadro e agora ele tem muito mais a ver comigo. 



Um dos motivos que eu quase nunca faço posts sobre tendências é porque sempre me parece um post muito impessoal, em que eu não conseguia exprimir completamente meu gosto, meu estilo, meu jeito de ser. Mas eu acredito que com esse novo estilo de postagem eu tenha alcançado o meu objetivo, ao mesmo tempo trazendo informação nova pra vocês.



A primeira novidade é a Batalha de Looks. Aqui eu vou apresentar sempre dois looks montados por mim que tenham a ver com a postagem do dia. Sim, ambas as fotos são minhas e os produtos nela também. Mas eu conto com a participação de vocês: quero saber qual que vocês gostaram mais, então me contem nos comentários qual foi o seu favorito. 

O primeiro look é mais casual, de saia longa, com tênis branco, super confortável. Esse look completo custou menos de R$150,00. Não acredita? Vou te provar:

Blusa Listrada, Marisa, R$25,90
Saia Longa com Fendas, Fair, R$60,00
Tênis Branco, Beira Rio, R$49,90
Ao todo isso dá, R$135,80.

O segundo look é mais arrumado, com saia curta, salto tratorado e um colar de corrente. Ideal para saídas a noite. A melhor parte é que ambos os looks custam quase que o mesmo preço. 

Cropped Listrado, Marisa, R$25,90
Saia Recorte Branca, Light in The Box, R$26,00
Sandália Tratorada Disk Salto, Zaxy, R$69,90
Colar de Corrente, Forever 21, R$15,90
Ao todo isso dá, R$136,80

O bom de peças assim é que elas são versáteis e costumam combinar com várias peças dentro do guarda-roupa. Por exemplo: alguns desses produtos já apareceram no Blog outras vezes, e em vários looks diferentes. É só procurar na TAG look do dia e comprovar (ou clicar no link abaixo).



Eu faço coisas diferentes, mas eu também trago mais do mesmo, porque a verdade é que o mais do mesmo também me inspira. E muitas vezes a gente busca ideias de como se vestir na Internet, em sites de inspiração, em blogs gringos, no Lookbook... 

E eu também quero trazer isso pra vocês, afinal, sou como vocês e também uso o mecanismo de pesquisa do Google para pesquisar Looks Preto e Branco. Navego horas a fio e não só para me ajudar com o meu estilo, mas para trazer mais conteúdo para vocês também.

Vocês estão cansados de saber que eu sou super básica, que eu adoro um P&B, que eu amo listras e que tudo isso simplesmente não sai do meu guarda-roupa, então eu selecionei ai em cima 6 looks que eu usaria, sem nem pensar duas vezes. Tá certo que a maioria tem calça, mas é que eu acho que uma das coisas que essa combinação mais prega é o conforto, especialmente porque ela veio do Minimalismo. E não tem nada mais confortável que calças né? 
Essa é a última novidade do post. Nessa parte você vai encontrar produtos que tenham relação com a postagem e que eu tenho dentro do meu guarda-roupa. São produtos que fazem parte do meu dia a dia, que eu indico pelo conforto, versatilidade e mais importante ainda: cabem no bolso. 

O cropped listrado do canto superior esquerdo é de uma loja chamada Ellegance, ele custou R$20,00 e eu já usei algumas vezes. Na verdade essa foto é um spoiler do próximo post de tendências, fiquem espertos que talvez vocês vejam ele na próxima batalha de looks.

Logo abaixo do cropped, tem uma foto minha com uma blusa listrada. Essa blusa é a mesma que você vê no canto superior direito (ela é a da ponta). E essas três blusas eu comprei na Leader por R$29,99, cada. Elas são extremamente confortáveis e MUITO fáceis de usar. Aliás eu acho que listras é uma das estampas must-have no guarda roupa. 




A foto do canto inferior direito, eu admito, dei uma pequena roubada. Na verdade essa sandália Tratorada não é branca e sim holográfica, mas eu coloquei porque a Taquilla oferece essa sandália na cor branca também. Os sapatos da Taquilla não são muito acessíveis (na verdade são bem caros, a maioria passa dos R$200), porém essa sandália eu comprei na promoção por R$89,90. Ela custava R$219,00, se não me engano. Foi um achado, realmente. Então a dica é: fica de olho no site deles, porque as promoções valem super a pena (aliás uma boa dica é em qualquer site sempre visitar a aba das promoções pra ver o que tem de bom).

E, por último, as incríveis sandálias da Zaxy. A foto do meio mostram a Zaxy Clubber, eu tenho duas cores, a preta e a branca (oh, really?) e estou no desejo das metalizadas e da verde militar, que eles lançaram também. Essa sandália é um must no seu armário. Ela é flatform, nem muito alta, nem muito baixa, SUPER confortável e a melhor parte: cada uma custa R$49,90, apenas. Elas combinam com tudo, eu uso pra ir pra todos os lugares, acreditem. 

E essa foi a postagem de hoje, não se esqueça de curtir a página do Quero Mais Pizza no Facebook e me seguir no Instagram @queromaisfotos. Todas as novidades eu posto primeiro por lá. 

Me contem nos comentários o que vocês acharam desse novo Tá na Moda. Não se esqueçam de escolherem um look da batalha lá em cima e de conferir os dois últimos posts dessa tag:

Veja também o Tá na Moda: The Sims.
Quero + Pizza • Design e Desenvolvimento por Lariz Santana