quarta-feira, 29 de março de 2017

5 MARCAS DO TOKYO FASHION WEEK PRA CONHECER


Eu nunca trouxe posts dos looks de passarela pro blog (apesar dele ser de moda), mas isso não significa que eu não acompanhe e goste dos desfiles das marcas. A questão é que eu não gosto de fazer conteúdo repetido, motivo pelo qual reformulei o Tá na Moda. Não me atrai a ideia de vocês acharem no meu blog o mesmo que acha em qualquer outro blog de moda. Talvez seja meu signo falando (sou aquariana), mas eu gosto de ser diferente.




Brincadeiras à parte: eu nem entendo nada de signo. Enfim, eu finalmente pensei em um jeito de trazer conteúdo novo para vocês. Os desfiles acontecem ao longo de todo o ano, seguindo as estações e o que muita gente não sabe é que cidades diferentes tem semanas de moda em épocas diferentes. Dito isso: vocês já ouviram falar do Tokyo Fashion Week

Como segue a tendência ao redor do mundo, cada época do ano representa uma paleta de cores, designs e novas apostas. Eu vim aqui falar do Tokyo Fall 2017 e vim apresentar 5 marcas que eu tenho CERTEZA, vocês não conheciam. 

Os desfiles de Tokyo costumam ser bem carregados e bem exagerados no seu Design, normalmente eles gostam de formas geométricas e de bastante volume, podendo levar o desfile para dois lados: cores sóbrias ou cores muito coloridas e chamativas. É tudo bem conceitual e representa muito bem a cultura japonesa. Sobreposições também aparecem com frequência. Mas agora deixa eu mostrar pra vocês as marcas:

(Clique nos nomes para serem redirecionados ao site e nas críticas para serem redirecionados as críticas originais. Clique nas imagens para vê-las maiores)



É uma marca conceitual que existe desde 2014 e tem como objetivo trazer sentido à fantasia que se esconde na realidade. Eles consideram que a proposta de suas roupas é fazer com que as pessoas sintam o modo de vida e a atitude daquelas que usam a marca, apenas com o olhar. A designer é a Akiko Aoki (sim, que dá o nome à marca). 

Crítica do Desfile por Monica Kim, Vogue: "... nessa estação ela foi inspirada por folclores nativos ao redor do mundo, visando trazer um design voltado para um modo mais primitivo de se pensar. "Hoje em dia as pessoas tem estado muito raivosas", ela explicou depois do show, "eu queria voltar para um estilo mais simples de ver as coisas". Ela começa contrastando motivos clássicos e construções com uma cor vibrante. [...] "Tudo deve ser diferente, se visto de frente, de costas e de lado", disse  ela..."



02. Chika Kisada

A elegância do Ballet, unida com a energia do Punk. Essa é a principal proposta da marca que utiliza do conceito da Elegância Vital, nascido a partir da ideia de integrar imagens contrastantes. A linha busca a presença e a beleza que o corpo humano cria com seus movimentos e gesticulados. Essa linha de roupas é principalmente para a mulher que vive na cidade, que está sempre se movimentando e que procura um novo tipo de qualidade. Chika Kisada estudou ballet clássico desde que era jovem e possui incontáveis prêmios e honras. Com a inspiração do ballet, da música e dos ares urbanos, ela cria roupas para mulheres que vivem com intensidade.

Crítica do Desfile por Ashley Clarke, Vogue: "Chika Kisada cria roupas vindas de contos-de-fadas que combina elegância feminina com o girl power (na crítica original ela fala sobre tough-girl attitude, que significa algo como força feminina, atitude forte... eu achei que a expressão girl power se encaixaria melhor para o entendimento). Esse foi seu primeiro desfile de Kisada no Tokyo Fashion Week, mas se você se basear apenas pela coesão do desfile, nunca teria adivinhado. Haviam alguns toques previsíveis do ballet, mas por Kisada se auto denominar uma Bailarina Punk, ela trouxe também outros elementos mais fortes como boundage e jaquetas de couro [...] Firme e delicado, infantil e sério; essa coleção é toda sobre os conflitos internos que que passamos quando, depois de anos sonhando com a vida adulta na infância, ao chegarmos lá começamos a nos questionar como o tempo passou rápido..."

Repararam no veludo na quarta foto?



03. Doublet

Conforto peculiar. Essa é a frase que define a marca. Criada em 2012, a sua primeira coleção, na verdade, saiu na Primavera-Verão de 2013. É uma marca de moda masculina que busca itens confortáveis e tenta reformulá-los com toques de estranheza. Seu designer é o Masayuki Ino, que ganhou o prêmio de 2013 Tokyo New Designer Fashion Award, com essa coleção.

Crítica do Desfile por Ashley Clarke, Vogue: "[...] Os rostos das modelos eram pintados com um aspecto oleoso para parecer que elas haviam acabado de sair de uma balada, com flashes azuis e verdes dançando pela passarela. As roupas também tinham uma pegada mais balada: uma t-shirt desbotada com uma estampa de Marilyn Mason na frente e Sex is dead estampado atrás. A mensagem disseminada nas roupas era de ironia com um certo quê de anti moda. [...] O que mais se destacou foi a mistura de modelos profissionais e não-profissionais que desfilaram na passarela. [...] "É sobre o caráter individual de cada um. Eu não quero saber se é legal", disse o designer..."



04. Growing Pains

A designer Yulia, uma figura icônica multi-talentosa do Japão, se inspira através de diversos tipos de arte, incluindo músicas, filmes, da cultura underground e diferentes movimentos ao redor do mundo. Growing Pains é uma marca fashion que mostra toda a criatividade de Yulia através de suas inúmeras perspectivas como artista. Também comemora um pouco de humor, com toda a proposta de aproveitar a moda como uma forma de expressão.

Crítica do Desfile por Monica Kim, Vogue: "Em um estacionamento de cinco andares de um prédio industrial em cima do Shibuya Club, é onde Madeimoselle Yulia decide apresentar seu primeiro desfile para sua marca de 2 anos de idade Growing Pains. Seu status como uma DJ electro-pop tornou global o seu estilo [...] "uma enfermeira, uma diarista, esse tipo de gente" Yulia explica, "misturados com o estilo militar que existe hoje em dia". O resultado foi um elenco cheio de médicos militares com uma inesperada surpresa: uma saia divertida circular feita em látex preto, bolsas médicas feitas com estampa de leopardo. "Eu queria adicionar um pouco de fetiches", ela acrescenta, "se eu uso apenas materiais normais vai ser apenas roupas militares, mas eu queria acrescentar a fantasia"..."



05. Hanae Mori Manuscrit

O Leste encontra o Oeste: representa a fusão do Ocidente com o Oriente - é o conceito que Hanae Mori tem constantemente aderido desde que ela começou suas atividade criativas, em 1951. Com um estilo original de preservar a essência estética do Oriente na cultura Ocidental. "A moda não é apenas sobre roupas, mas sim a tudo que está ligado a um estilo de vida", diz Hanae. A marca propõe desenvolver e manter um estilo contemporâneo em um clima de riqueza e beleza. A beleza simples japonesa com requintes de sensibilidade.

Crítica do Desfile por Monica Kim, Vogue: "Atribuído com o nome de um dos designers mais apreciados do Japão, Yu Amatsu tem um pouco de um legado para proteger em Hanae Mori Manuscrit. De um modo geral, ele se manteve no tipo de peças polidas e femininas que seu cliente espera - saias e vestidos frouxos, drapeados e plissados em tons suaves. O mais forte parece jogado com detalhes de madeira natural [...]. No entanto, pode ter sido a dose exata de experimentação fora da caixa que a mulher Hanae Mori precisa levar para casa nesta temporada, para expandir seus horizontes para a próxima vez."





Essas foram as cinco marcas do Tokyo Fashion Week que me chamaram a atenção. Eu gosto muito da ideia de separar a roupa do dia-a-dia da roupa Design, a roupa conceitual, a roupa que carrega uma mensagem além de tecidos. Essas marcas me impressionaram pelo fato de unirem ideias únicas com um design tão complexo e original.

Eu espero que vocês tenham gostado de conhecer um pouco mais da parte conceitual da moda (que é uma das minhas paixões) e eu decidi trazer as marcas de Tokyo justamente pelo seu impacto visual.

Me contem nos comentários quais marcas vocês mais gostaram. Gostaram desse estilo de post? Compartilhe também se você gostou, especialmente com os amantes de moda que vocês conhecem. Aposto que eles vão gostar.

Não se esqueçam de curtir o Quero Mais Pizza no Facebook e me seguir no @queromaisfotos no Instagram, eu to sempre dando dicas por lá.

Até o próximo post <3


Comente com o Facebook!

5 comentários:

  1. Uau Ana amei o post muito legal as marcas. Adoro o jeito que que escreves.
    Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obaaaa <3 obg nara <3 vc é um amorrrr e mt mt obg pelos elogios <3

      Excluir
  2. Eu ia morrer sem saber que também existe Tokyo fashion week kkk, e olha que eu amo Moda. Acho que é pelo fato de só paris, Nova York, esse lugares serem centro das atrações e deixando os outros fashion week sem visibilidade.
    Mas eu adorei os looks viu! Alguns eu até usaria heuheueheu.

    sdl

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é só em Tokyo não, quase todas as cidades principais de cada país tem a sua própria versão da fashion week haha <3 mas eu curto mt a de tóquio por conta das linhas serem super conceituais e bem impactantes, por isso trouxe pra cá <3 Fico feliz que vc tenha gostado awwn obg <3

      Excluir